“A noção de moral dessa gente atingiu os limites mínimos. É inqualificável”

Guilherme Aguiar defende existirem indícios de ilícitos nos mails enviados ao Pedro Guerra. E fala de “falta de escrúpulos” dos intervenientes.

Guilherme Aguiar considera uma “pouca vergonha” o alegado mail enviado por Carlos Deus Pereira a Pedro Guerra com detalhes de centenas de SMS de Fernando Gomes.

“A noção de moral dessa gente atingiu os limites mínimos. Aliás, é inqualificável”, afirmou o antigo dirigente do FC Porto e antigo presidente da Liga, a O JOGO, considerando que “há indícios de ilícitos nos mails enviados ao Pedro Guerra”.

“Não vou concluir desse mail que o Benfica domina o atual presidente da FPF. Aliás, Fernando Gomes deve ter ficado estarrecido, se não sabia disto. Acredito que não. Mas quando chega ao limite de miserabilidade de transmitir mensagens pessoais está demonstrada a qualidade moral dessas pessoas, de quem enviou e de quem recebeu”, comentou.

Sobre Carlos Deus Pereira, que à data do referido email (fevereiro de 2014) era presidente da AG da Liga, Guilherme Aguiar disse não estar surpreendido por conhecer a pessoa em questão. “Nunca pensei é que chegasse a este ponto”, afirmou.

Em relação aos mails a envolver a Paulo Gonçalves, nomeadamente os que conduziram à descida de nota do árbitro Rui Costa, Guilherme Aguiar considera demonstrarem o estado de espírito que reina no Benfica há muito tempo.

“Quem se lembra do jogo Estoril-Benfica de 2005 que o Benfica conseguiu mudar para o Algarve numa altura em que o Estoril era liderado por um antigo dirigente do Benfica, isto já diz tudo sobre o que se passa no Benfica”, comentou.

“Espero que a investigação se faça. A nível disciplinar acho difícil conseguirem fazer a investigação e provar o nexo de causalidade de determinados comportamentos e seus resultados. Talvez um inquérito no Ministério Público, feito pela Polícia Judiciária, tivesse melhores resultados”, concluiu Guilherme Aguiar.

Fonte: OJOGO