Aboubakar: “Decidi regressar e ajudar o clube a ser campeão”

Avançado internacional camaronês do FC Porto concedeu uma entrevista à UEFA

 

Em vésperas do FC Porto-Mónaco, da sexta e última jornada do grupo G da Liga dos Campeões (quarta-feira, 19h45), Aboubakar concedeu uma longa entrevista à UEFA, na qual percorre vários momentos da carreira. O FC Porto, claro está, foi um dos temas mais fortes da conversa com o avançado internacional camaronês, melhor marcador dos Dragões em 2017/18, com um total de 15 golos.

As origens
“Sou apaixonado pelo futebol desde os meus tempos em Garoua, nos Camarões. Era o que fazia por diversão com os meus amigos, mas a minha família sempre quis que me focasse nos estudos. Foi essa a educação que os meus irmãos receberam e os meus pais queriam passar isso para mim também. Comecei a jogar futebol por prazer, mas depois tornou-se uma ocupação para mim.”

Um jogador especial
“Um jogador do qual gostei muito durante o meu crescimento foi Fernando Torres. Ele era muito bom quando jogava no Liverpool. O futebol testemunhou uma grande revolução, com o aparecimento de jogadores como o Messi e o Cristiano Ronaldo, que estão sempre bem e que admiro muito, mas sempre gostei de Fernando Torres em particular.”

O empréstimo ao Besiktas e o regresso ao FC Porto
“Fui para o Besiktas e não gostei de ter sido emprestado, até porque nunca me passou pela cabeça que o treinador na altura me quisesse emprestar. Foi um choque para mim e senti que não queria voltar se o treinador fosse o mesmo, mas a realidade é que o treinador foi embora e chegou uma nova equipa técnica. Sérgio Conceição ligou-me e convenceu-me a dar o meu melhor pelo FC Porto, por isso decidi regressar e ajudar o clube a ser campeão.”

A transferência para o FC Porto
“Foi por razões futebolísticas que decidi assinar pelo FC Porto em detrimento de outro qualquer, e tinha outras propostas em cima da mesa. Sabia que se jogava bom futebol em Portugal e isso motivou-se a vir para cá. Sente-se que é outro nível, até pela grande atmosfera e emoção geradas pelo jogo. O meu foco está em ganhar troféus coletivos e individuais. A nível coletivo, ainda não ganhámos nada, mas estamos no caminho certo para ganhar.”

Expectativas
“Toda a gente espera sempre o mesmo de um avançado. Se marcas 30 golos numa época, as pessoas vão querer que marques 35. Se marcares 35, vão querer que marques 40 na época seguinte. As expectativas de um bom avançado são sempre altas e ajuda definires objetivos para ti próprio. É bom que as pessoas esperem muito de mim, pois obriga-me a estar sempre bem.”

12 golos em 20 jogos na Liga dos Campeões
“A exigência é diferente, assim como as emoções e o impacto da competição. É outro nível. Ganhar a Liga dos Campeões é o mesmo que ganhar o Mundial em termos de seleções. Se a ganhares enquanto jogador, é algo verdadeiramente extraordinário.”

Os objetivos para 2017/18
“Toda a gente sabe que o nosso objetivo é sermos campeões, ganhar troféus. Essa é a nossa ambição.”

Fonte: FC PORTO