Alex Telles: “O lado bom é que o Sérgio Conceição já foi jogador”

Defesa do FC Porto mostra-se motivado para trabalhar com o novo treinador dos dragões e lembra o que falhou na última época

Alex Telles, lateral do FC Porto, avalia positivamente os primeiros dias de trabalho com Sérgio Conceição. Em entrevista ao diário “Lancenet”, o jogador destaca o trabalho realizado pelo novo treinador dos dragões no campeonato francês, ao serviço do Nantes, e garante que o foco é “terminar a época com o título”.

“Espero que venham coisas positivas. Mudanças são feitas para melhorar. O grupo é jovem, merece toda a atenção para poder voltar a conquistar títulos. O Sérgio fez um excelente trabalho no Nantes, conseguiu resgatar uma equipa de uma posição má e terminou o campeonato francês muito bem. Sabemos que é um treinador muito competente, que sabe o que faz. O lado bom é que ele já foi jogador, sabe o que cada um gosta e o que cada um precisa. Não tenho dúvidas de que vai ser uma sintonia muito boa e só esperamos o melhor dele, assim como ele espera o melhor de nós. Esperamos fazer um grande trabalho e poder terminar com o título”, afirmou.

Quanto à última época, Alex Telles lamentou o número de empates que os dragões registaram, principalmente nos jogos em casa.

“Nós, jogadores, sabemos que pecámos muito nos jogos em casa, tivemos muitos empates. Uma equipa como o FC Porto não pode perder tantos jogos em casa. Para a disputa do título, não podemos vacilar, os detalhes são importantes. Foi nisso que acabámos por pecar. Foram dez empates no campeonato e apenas duas derrotas. Perdemos pouco, mas foram os empates que nos deixaram na segunda posição”, rematou.

“Todos gostavam muito do Nuno, mas o futebol é resultado”

Alex Telles, jogador do FC Porto, recorda o ex-treinador dos dragões e não poupa nos elogios.

O defesa brasileiro Alex Telles veio a público falar sobre Nuno Espírito Santo, treinador com quem trabalhou na última época, deixando elogios ao técnico português.

“Foi a primeira vez que trabalhei com o Nuno Espírito Santo. No início, ele não me conhecia bem, mas foi descobrindo as minhas características ao longo da temporada. Em determinado período, ele foi-me conhecendo melhor, passou a colocar-me nas bolas paradas, dando-me mais liberdade no ataque. Passei a marcar muito melhor depois das minhas passagens pela Turquia e Itália, aprendi muitas coisas que me fizeram ter uma parte defensiva mais sólida. A partir daí, pude usar a minha maior qualidade que é o ataque, de deixar o avançado em boa posição para marcar. Com o tempo foi dando certo, as assistências foram saindo, com cruzamentos e em bolas paradas, o que foi me dando confiança. E espero continuar nesta vertente para ajudar o FC Porto”, começou por dizer, em declarações à imprensa brasileira.

Ainda sobre Nuno Espírito Santo, Alex Telles não escondeu que sentiu tristeza ao vê-lo sair do FC Porto.

“Essa questão de continuar ou não deixo a cargo das pessoas do clube, que analisam esse tipo de trabalho. O que posso dizer é que o Nuno fez um grande trabalho, deixou-me bem à vontade. Era uma grande pessoa, todos os jogadores gostavam muito dele. Mas sabemos que o futebol são os resultados e o clube não conseguiu o seu principal objetivo que era o título. Nós jogadores também ficámos bem tristes e abalados com essa situação, até por não conseguirmos conquistar o título nos últimos quatro anos. Estamos a representar o clube e não vem sendo algo positivo. Mas sabemos que futebol é o momento, que traz coisas novas e está sempre a mudar. Temos que estar preparados para os novos obstáculos e fazer o FC Porto voltar a ser campeão. Pelo grande clube que é, precisa de ser campeão todos os anos e sabemos a responsabilidade de cada jogador”, concluiu.

Alex Telles e a expulsão: “Era o jogo mais importante da minha vida…”

Defesa do FC Porto não esconde a desilusão por ter visto o cartão vermelho no jogo com a Juventus, na última época, nos oitavos de final da Liga dos Campeões

“Para mim foi uma tristeza enorme. Era o jogo mais importante da minha vida e acabei a deitar por água abaixo uma grande oportunidade. Talvez por estar muito concentrado ou por estar na adrenalina do jogo. Não sou um jogador de ser expulso tão facilmente. Tenho poucos cartões vermelhos na carreira. Mas foi um caso à parte, aprendi muito com os meus erros. Errei e todos sabem disso”, começou por dizer, em declarações à imprensa brasileira.

“Não tenho dúvidas que cresci muito com esse episódio, tive o apoio da minha família, dos meus companheiros, do técnico. Todos me apoiaram muito. Hoje ainda sou muito lembrado por isso, fui criticado em alguns momentos. É a verdade de outra pessoa, procuro a minha verdade e pretendo melhorar a cada dia. Aprendi muito e tenho a certeza de que isso me fez crescer muito. A partir de hoje serei um jogador diferente nesse sentido e isso serviu de aprendizagem”, rematou.

Fonte: Ojogo