Amaro Antunes é aposta da W52-FC Porto-Mestre da Cor para esta Volta ao Algarve

“VOU JOGAR A CARTADA NA FÓIA E NO MALHÃO”

Amaro Antunes, reforço da W52-FC Porto, foi o melhor português na “Algarvia” do ano passado, diz atravessar um bom momento e garante que “correr perto de casa dá mais alento”

“Pelo que fiz em Valência e na Volta ao Algarve de 2016, a equipa aposta em mim. Espero fazer uma boa corrida” “O principal é sempre a Volta a Portugal, mas a filosofia do FC Porto é outra; aqui contam todas as provas”
Amaro Antunes
W52-FC Porto-Mestre da Cor

Tem 26 anos, é algarvio e no ano passado deu luta a Alberto Contador, Fabio Aru e Thibaut Pinot nas subidas da Volta ao Algarve, sendo décimo da geral. Agora de azul e branco, alinha mais rodado

AMARO ANTUNES VAI LIDERAR A W52-FC PORTO NA VOLTA AO ALGARVE QUE ARRANCA HOJE, QUERENDO NOVO LUGAR NO TOP-10Amaro Antunes brilhou na recente Volta à Comunidade Valenciana e é aposta da W52-FC Porto-Mestre da Cor para esta Volta ao Algarve, depois de há um ano ter subido as montanhas ombro a ombro com Contador, Aru e Pinot. Em conversa com O JOGO, deu conta das suas expectativas para a prova que hoje arranca. Tendo chegado da LA, como se está a dar no FC Porto?

“Na W52-FC Porto há muitas opções”

Amaro Antunes considera que, para o FC Porto, todas as provas são importantes, mesmo destacando a Volta a Portugal. O grupo permite pensar assim. A sua equipa vai apostar todas as fichas mais tarde na Volta a Portugal?

Amaro Antunes brilhou nas montanhas da Valenciana

—Todos sabemos que o objetivo principal é sempre a Volta a Portugal, mas a filosofia do FC Porto é outra e contam todas as provas. Foi assim na Volta a Valência e será assim também na “Algarvia”, como o nosso diretor fez questão de transmitir. A equipa tem vontade e dá garantias. Queremos fazer boas corridas. É importante estarmos bem em todas as provas e todas são importantes. Ao falar nessas garantias, refere-se a trunfos como Rui Vinhas e Gustavo Veloso?

—Esta equipa tem vários elementos que dão totais garantias para lutar pela vitória. Na W52FC Porto há muitas opções, inclusive para chefe de fila. Acredito que, durante o ano, o nosso diretor dê uma oportunidade a todos os ciclistas de mostrarem o seu potencial. Essa é uma mais-valia…

—Claro. É a mais-valia de ter um lote forte de corredores, com o Gustavo Veloso à cabeça. E os rivais? Teme algum? Há vários. Desde que haja bicicletas e pedais… O ciclismo é um bocado imprevisível, porque às vezes quedas ou doenças alteram os planos. Todas as equipas treinam e correm como nós, logo são rivais a ter em conta. Mas a W52-FC Porto é a equipa a abater?

—Pelo historial do clube e por aquilo que já mostrámos na estrada, é natural termos esse favoritismo. O que não significa que os outros não tenham uma palavra a dizer.

A subir com os melhores do mundo

Natural de Vila Real de Santo António, o algarvio de 26 anos é dos valores nacionais mais seguros. Na passada semana, foi dos que mais resistiram a Nairo Quintana, sendo terceiro na etapa de montanha da Volta a Valência, mas Amaro Antunes deuse a conhecer ao mundo no ano passado, pois deu espetáculo na Fóia (sétimo, à frente de Contador) e no Alto do Malhão (quarto, ao lado de Fabio Aru e Thibaut Pinot). “Tenho a ideia de ter subido essas montanhas palmo a palmo com os melhores do mundo”, disse na altura a O JOGO, no rescaldo de uma corrida inesquecível. “Conheço bem essas subidas e treino-as muitas vezes”, confessa, abrindo o apetite para o que aí vem. Amaro estreou-se como profissional na LA Antarte, passou por Tavira e por um projeto mal sucedido em Itália, sendo agora uma aposta dos portistas.

Fonte: Ojogo

 

Fonte: Ojogo