Já viste este telemovel igual ao Galaxy S8, Octacore, Camara 16Mp da Sony, Touch ID...etc por APENAS 100€? Visita o nosso link e não pagas portes de envio nem taxas alfandegárias!

CLICA AQUI

Análise: Mais maduros e mais matadores

FC Porto conseguiu a quinta vitória seguida na I Liga, algo inédito esta época, e deu mais um sinal de crescimento, frente a um V. Guimarães que acusa a saída de Soares

36’

0-1 SOARES COM INSTINTO ASSASSINO

Alex Telles cruza do lado esquerdo, a bola vai longa para a grande área do V. Guimarães, Herrera está bem posicionado e assiste André Silva de cabeça. O avançado parece tentar o golo com o pé esquerdo, mas o remate sai fraco e acaba em Soares. Com instinto assassino, o avançado brasileiro não perdoa e bate o antigo companheiro. Os jogadores da equipa minhota ainda pedem, em desespero, fora de jogo, mas Bruno Gaspar está uns metros atrás e coloca em posição legal o atacante do FC Porto.

Sem vencer em Guimarães desde 2012/13, o FC Porto respondeu de uma forma segura à vitória do Benfica. Já a equipa minhota continua a sentir a falta de alguns jogadores fundamentais

Nuno Espírito Santo substituiu André Silva pelo segundo jogo consecutivoPressão tem sido a palavra mais ouvida e mais escrita nas últimas jornadas, sobretudo a partir do momento em que o FC Porto iniciou um ciclo vitorioso e o Benfica começou a escorregar. E se, nas últimas jornadas, os dragões tinham vantagem por jogarem primeiro, ontem experimentaram uma sensação nova: jogar depois de saber o resultado do líder. E como os encarnados derrotaram o Arouca, faltava saber como iria reagir a equipa de Nuno Espírito Santo. E a resposta foi clara e convincente. Os portistas estão mais maduros e mais matadores. Estão até mais completos. Além de manterem a segurança defensiva, porque a defesa está bem – e dá muito jeito ter Danilo à frente… –, mas também porque todos os jogadores ajudam nas tarefas defensivas, a começarpelosavançados, alinha de frente ganhou, e de que maneira, com a contratação de Soares. O brasileiro regressou a Guimarães e voltou a ser decisivo, como já tinha sido contra o Sporting, mas a sua atuação não se resume ao que mais se exige dele, os golos. Com Soares, a equipa tem outra segurança a atacar, tem mais mobilidade, porque o entendimento com André Silva é muito bom, mas também ganha quando não tem bola.

Já o V. Guimarães sente saudades de Soares: sem o atacante brasileiro, não têm aparecido os golos. Foi assim nos últimos três encontros, contra Marítimo, Paços de Ferreira e ontem. Três jogos, zero golos. Também é verdade que não tem havido Marega e Rafael Miranda, já não há João Pedro e ontem também não houve Hernâni, emprestado pelo FC Porto; são ausências a mais e o futebol do Vitória ressente-se disso.

Com outras opções, Nuno optou por mexer na equipa que derrotou o Sporting; Corona e Óliver ficaram no banco, entrando Herrera e André André. Se o jogo em Guimarães tivesse corrido mal, o treinador do FC Porto seria agora criticado, mas tornouse claro que, mesmo correndo esse risco, o objetivo era claro: tapar o meio-campo e não permitir a construção de jogo do adversário. E pelo que se viu, a lição estava bem estudada. Num jogo que se adivinhava difícil, Casillas teve pouco trabalho. Fruto dessa segurança, os dragões controlaram o jogo e chegaram à vantagem por Soares. O avançado “traiu” os antigos companheiros e, num sinal de respeito, não festejou.

A segunda parte foi diferente. Muito diferente, aliás, porque a partida teve mais ritmo. O V. Guimarães tentou impor alguma velocidade e o jogo começou cedo a ficar partido. O FC Porto aproveitava o facto de o adversário jogar com a linha defensiva mais adiantada e explorava melhor os espaços que o meio-campo dava. Percebia-se que o segundo golo dos dragões podia surgir a qualquer momento, até porque, nessa altura, já Diogo Jota tinha entrado e criava muitos problemas. Teve três oportunidades para marcar e, à terceira, não perdoou: com a frieza que não tivera antes, bateu Douglas e arrumou a questão. A pressão, essa, continua dentro de momentos.

FILME DO JOGO

8’ Danilo serve Maxi, o lateral passa a bola do pé direito para o esquerdo, remata em jeito e Douglas defende.

11’ Remate potente de RafaelMartins:abola sai ao lado.

36’ 0-1 Golo de Soares (Ver momento)

44’ Rafael Martins remata e Casillas faz uma grande defesa. O avançado estava fora de jogo, mas ficam a intenção do V. Guimarães e a excelente intervenção de Iker.

45’ Raphinha dispara, a bola sai ao lado. Casillas tinha a situação controlada.

58’ Grandecruzamento de Alex Telles, Pedro Henrique tira quase em cima da linha e impede que a bola chegue a Soares.

67’ LivredeAlexTelles: Marcano tenta o golo, Felipe não consegue o desvio e atira ao lado.

74’ Canto de Herrera, Douglas soca para a frente, Danilo ainda tenta o golo, mas o árbitro assinala uma falta contra o FC Porto.

77’ Isolado por Soares, Diogo Jota remata e Douglas desvia para canto.

78’ Diogo Jota volta a tentar o golo, agora em jeito, mas a bola sai ao lado.

85’ 0-2 Douglas faz um passe longo para Hurtado, Alex Telles recupera a bola, isola Diogo Jota eo avançado mostra frieza e marca.

Trocas Nuno não destapa o meio

Percebeu-se desde cedo que Nuno não queria perder a batalha do meio-campo. E quando os treinadores começaram a mexer com as substituições, o treinador do FC Porto quis dar velocidade ao flanco direito com a entrada de Corona e tirou André Silva. Desta forma, além de Soares jogar sozinho, na frente a preocupação foi não destapar o meio-campo. Nuno ganhou nesse particular a Pedro Martins, vendo ainda outra cartada dar frutos com a entrada de Diogo Jota: o avançado tentou o golo em três ocasiões e na última delas foi de vez.

Fonte: Ojogo