André André: Mais uma novela no futebol português

Utilização de André frente ao Portimonense pode dar caso

A expulsão de André no jogo de Guimarães, realizado no último domingo, levanta questões em matéria disciplinar que ainda estão por apurar. Para já, como consequência direta do cartão vermelho que o árbitro João Pinheiro lhe mostrou ao minuto 53 dessa partida do Minho, o médio foi suspenso por um jogo pela secção não profissional do Conselho de Disciplina, o órgão competente para tomar essa decisão, mas não se sabe bem quando terá de cumprir o castigo.

Para o FC Porto, a interpretação do regulamento disciplinar da FPF é simples: o jogo de Guimarães foi de caráter particular e, por isso, o castigo será apenas cumprido depois de o clube ser notificado. Por isso mesmo foi dada autorização para o jogador ser opção do treinador no desafio de anteontem, frente ao Portimonense, no qual esteve em campo toda a segunda parte.

Mas há também quem interprete as expulsões em particulares à luz dos regulamentos da Liga, que impedem automaticamente um jogador expulso de participar no jogo seguinte. Ou seja, nesse caso André não devia ter sido lançado no Algarve.

Compete ao Conselho de Disciplina voltar a apreciar o caso – o que deve acontecer na reunião da próxima semana – e decidir quando é que André teria de ser excluído. Se prevalecer a ideia de que terá de cumprir a suspensão após a notificação de ontem, o médio ficará de fora frente ao Corunha – ou na quarta-feira, em Barcelos – e o problema estará resolvido; se o CD analisar os regulamentos sob outro prisma e entender que o vermelho tem consequências apenas em jogos oficiais que se seguem, então o jogador não poderá defrontar o Estoril na abertura da Liga.

Há outro fator a ter em conta: em caso de denúncia de terceiros por alegada utilização irregular de André no Algarve, o CD poderá ter de instaurar um processo disciplinar que, decerto, fará correr muita tinta.