André Silva: “Pinto da Costa perguntou-me se as balizas estavam no sítio”

André Silva recorda a final da Taça de Portugal com o Braga. FC Porto perdeu nos penáltis, mas o avançado brilhou com dois golos, numa partida analisada em entrevista ao Porto Canal.

Final da Taça com o Braga: “Foi o último jogo da época, os adeptos só acreditavam na nossa vitória, era a única hipótese de conseguir um título naquela altura. Entrámos motivados, mas as coisas começaram a correr mal e sofremos dois golos. Mas com a nossa vontade nunca deixámos o jogo ir abaixo, fizemos o 2-1 e mesmo no final o 2-2. Foi uma explosão no estádio, senti-me muito bem e lembro-me de querer ir a correr para o meio-campo porque achava que ainda dava tempo de fazer o 3-2. O Danilo estava a empurrar-me e pensava: eles não querem marcar outro golo? Nem tinha a noção que estava mesmo no fim do jogo. Acabei por me atirar para o chão. Levámos o jogo para os penátis e saímos mal. Não só eu, por ter marcado dois golos, mas toda a equipa. Ficamos muito em baixo, senti isso”.

Troca de palavras com Pinto da Costa no Jamor antes do jogo: “Lembro-me de ter subido ao relvado e quando cheguei ao balneário o presidente estava lá e perguntou-me se as balizas estavam no sítio. Respondi que estavam, mas faltava a bola. Deu-me sorte porque marquei dois, mas acabámos por perder”.

Comparações com Fernando Gomes: “Para mim é um enorme orgulho ser comparado ao Fernando Gomes. É o significado que as coisas estão a ir no bom caminho, que durante a minha vida tenho escolhido o caminho certo. É orgulho porque esses jogadores tiveram significado, história e ser comparado a alguém desse calibre traz-me uma felicidade enorme”.

Aprender com Fernando Gomes: “Sim, deu-me alguns conselhos, tentou ajudar-me para que, de uma certa maneira, fizesse as coisas melhor. Senti que ele é uma boa pessoa e estava a torcer para que as coisas me corressem bem. Além de me querer bem, é um portista e gosta imenso do clube e queria que as coisas corressem bem. Fiquei feliz a ouvir as palavras deles e deu-me uma força extra para continuar a marcar golos”.

Dragão de ouro, aos 20 anos, como jovem revelação do ano: “Foi outro sonho. Fiquei feliz por subir ao palco. Receber um prémio do nosso clube é algo grandioso. É algo que me deixa com um sorriso na cara e a única coisa que posso pensar agora é tentar ganhar outro dragão de ouro porque é única coisa que meti na cabeça”.

Fonte: Ojogo