“Atacar o FC Porto tornou-se normal e não podemos permitir”

Nuno Espírito Santo, na fase de perguntas e respostas na conferência de imprensa de antevisão ao FC Porto-Braga, falou da sua forma de comunicação

Fazer uma equipa: “O nosso trabalho é de construção de uma base, de uma equipa que quer voltar a ser campeã. O objetivo é ser campeão, mas para isso há um caminho e esse caminho faz-se no trabalho diário.”

Criticar o FC Porto: “Atacar o FC Porto tornou-se algo normal e nós não podemos permitir isso. Os jogadores têm de perceber que confiamos neles.”

Benfica e a matemática: “O líder joga hoje, a diferença é de sete pontos, é verdade. Nós temos de vencer o nosso jogo, não podemos controlar o que se passa nos outros. A nossa obrigação é vencer. Sabemos qual é a margem de erro, sabemos que enquanto houver possibilidade matemática não desistiremos”

A comunicação: “Tenho um discurso diferenciado conforme as circunstâncias, mas a minha mensagem é única e coerente. Acredito fielmente na comunicação, acho que os jogadores ouvem o que dizemos, sentem o que dizemos e tentam reproduzir isso nos 90 minutos. Nem sempre foi assim, mas na maioria das vezes sim. Não vejo necessidade de mudar a linha de comunicação, de, como ouço, dar murros na mesa. O importante é passar uma mensagem coerente e clara e clara para os jogadores.”

FONTE/ OJOGO