Benfica acusa ADEPTOS DO PORTO 

O presidente das águias, Luís Filipe Vieira, foi recebido, esta segunda-feira, pelo Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol.
O Benfica divulgou, no seu site oficial, um comunicado onde refere alguns dos pontos debatidos na reunião, começando por relatar que teve a “oportunidade de denunciar o ambiente de coação e condicionamento que tem sido gerado sobre a arbitragem, por parte de outros clubes, e que se agravou a partir do momento em que se assistiu à invasão do Centro de Treinos do Polo Profissional dos Árbitros na cidade da Maia, por parte de elementos afetos à claque do FCP [F. C. Porto]”.
O Benfica “questionou ainda o Conselho de Arbitragem sobre as medidas que este adoptou face às ameaças expressas à integridade física de árbitros e seus familiares e declarações públicas de principais responsáveis desses clubes, que punham em causa diretamente a honorabilidade e segurança dos responsáveis do sector e equipas de arbitragem, considerando que é fundamental garantir que as entidades públicas competentes tenham conhecimento exaustivo sobre os factos atrás expressos”, pode ler-se no comunicado.
As águias pediram, ainda, no terceiro ponto, sanções mais graves: “Lamentou [o Benfica] que a ausência de sanções no âmbito disciplinar verdadeiramente punitivas daquelas situações criem um clima de impunidade que acentua a necessidade de serem tomadas medidas urgentes em nome da credibilidade das competições e devida proteção das equipas de arbitragem”.
O Benfica termina o comunicado a garantir que reiterou a “confiança na qualidade generalizada dos árbitros, não escondendo contudo que todo o ambiente criado contribuiu de forma determinante para uma acumulação de erros graves, com influencia no normal desenrolar das partidas, ora em prejuízo do Sport Lisboa e Benfica, ora em beneficio de quem fomentou e não repudiou este indesmentível ambiente de coação e condicionamento”.

Fonte JN