Cabestany: “A chave do jogo foi manter a calma”

Treinador destacou a inteligência da equipa para levar a melhor sobre o Benfica (9-7), na 24.ª jornada do campeonato

 

Após o triunfo no clássico da 24.ª jornada do Campeonato Nacional de hóquei em patins, sobre o Benfica (9-7), o treinador do FC Porto Fidelidade destacou a inteligência, a calma e a capacidade de sofrimento dos seus jogadores para conseguirem uma das vitórias da época que, pela exibição, o deixou “mais contente”. Sobre as contas do título, o Guillem Cabestany admitiu que está tudo em aberto e que o objetivo primeiro dos Dragões é somar os seis pontos que há para ganhar até ao final da prova.

Quanto a Hélder Nunes, que apontou quatro dos nove golos dos azuis e brancos, falou numa vitória justa, que no entender do capitão até deveria ter sido selada por números mais expressivos. Tal como o treinador, o camisola 78 acredita que o título poderá sorrir aos Dragões.

Guillem Cabestany (treinador)
“A chave do jogo esteve em manter a calma e controlo do jogo no momento em que ficámos para trás. Se sofremos de alguma coisa é de precipitação, devido à grande qualidade que temos no plantel, e hoje acrescentámos à qualidade a inteligência e a calma. Acho que é uma das vitórias que me deixa mais contente. As contas ficam abertas. Temos que olhar para os nossos jogos, tentar somar seis pontos, que não vai ser fácil e depois vamos ver se é possível. Eu acredito que é.”

Hélder Nunes (defesa/médio)
“Foi um jogo muito complicado. Marcámos primeiro, mas não soubemos aproveitar. Recuperámos de dois golos, o que é uma missão muito difícil frente ao Benfica, tivemos nos três de vantagem e terminámos com dois. Sonhámos em ter os quatro golos, mas não era o objetivo do jogo. Se se propusesse íamos atrás deles e pelo jogo que fizemos até acho que merecíamos. Enquanto for possível ninguém nos tira o sonho do título e é com essa crença que trabalhamos para os jogos que faltam.”

Fonte: FC Porto