Já viste este telemovel igual ao Galaxy S8, Octacore, Camara 16Mp da Sony, Touch ID...etc por APENAS 100€? Visita o nosso link e não pagas portes de envio nem taxas alfandegárias!

CLICA AQUI

Casillas: O maior sonho é festejar nos Aliados

A TRÊS JOGOS DE DECIDIR O FUTURO

  • “É minha intenção ficar mais um ano. Se realizar mais três jogos posso decidir se fico ou não”
  • “O presidente acordou comigo que só tenho de dizer se fico um mês e meio antes de acabar a época”
  • “As pessoas confiaram em mim num momento difícil e devo-lhes isso. Estados Unidos? Gosto daqui”
  • “Disseram-me que a Avenida dos Aliados fica muito bonita com os adeptos a festejar o título. O meu sonho é ser campeão”
  • “Final Champions com o Real? Oxalá possa acontecer. Mas é difícil. O que nos dá de comer é a Liga”

Espanhol acordou com Pinto da Costa que um mês e meio antes de acabar a época informará se renova

Eventual mudança para os Estados Unidos foi negada pelo guarda-redes portista, que admitiu poder pôr um ponto final na carreira dentro de dois ou três anos. Para já, o maior sonho é festejar nos Aliados

A menos de seis meses de terminar o contrato com o FC Porto, Casillas revelou que está a apenas três jogos de ficar com o poder de acrescentar outra temporada ao acordo inicial. A informação foi dada logo no arranque do programa “El Transistor”, da rádio Onda Cero, que enviou uma equipa à Invicta para entrevistar o guarda-redes. “É minha intenção ficar mais um ano. Estou bem aqui e acredito que essa também é a intenção do clube. Se realizar mais três jogos, posso decidir se fico ou não”, indicou. Se nada de anormal acontecer, a bola ficará nas mãos de Iker após a receção ao Tondela (17 de fevereiro). Mas a resposta não tem de ser dada já. “O presidente acordou comigo que só tenho de dizer um mês e meio antes de acabar a época”, acrescentou.

Aliviado por ter deixado Espanha e feliz por ter sido tão bem acolhido em Portugal, Casillas admitiu que tudo aponta para que continue no FC Porto, pelo menos, até 2018. “As pessoas confiaram em mim num momento difícil e devo-lhes isso. Quero continuar a desfrutar dos jogos que faço aqui. Estados Unidos? Gosto de estar aqui, estou perto de casa e todos me acolheram muito bem”, referiu o madrileno, que garantiu estar mais “concentrado esta temporada”, depois de na última os resultados “não terem sido bons”. “É isso que faz com que as coisas estejam a correr bem”, sustentou, não escondendo que o sonho no imediato passa por se sagrar campeão. “Disseram-me que a Avenida dos Aliados fica muito bonita com os adeptos a festejar o título. Temos a hipótese de dar essa alegria aos adeptos, que sofrem e se emocionam connosco, e julgo que seria muito bonito”, afirmou.

Confrontado com a possibilidade de defrontar o Real Madrid na final da Liga dos Campeões, Iker respondeu comum simples“vamos ver ”. “Seria bom par aos dois e oxalá possa acontecer. Ma sé difícil. O que nos dá de come ré a Liga e temos um grande desafio com a Juve”, lembrou o espanhol, desafiado a revelar como defenderia os penáltis de Sergio Ramos e Cristiano Ronaldo num eventual desempate no encontro decisivo. “O Sergio não me marcaria à Panenka [risos]. Com o Cristiano, era difícil escolher um lado, porque ele varia muito”, rematou.

“Suplente? Seria um problema”

Casillas quer regressar à seleção espanhola, entende que tem condições para voltar asercham ado por Jul en mas deixa claro que nun caparas er suplente. Enãoé por considerar uma desconsideração ir para o banco. “Para ser suplente, não, porque seria um problema”, admitiu Iker, que nos últimos tempos luta pela titularidade com De Gea, “portero” do Manchester United.

E foi com a mesma frontalidade que admitiu que tem de trabalhar muito para voltar à Roja. “Estou concentrado no FC Porto e, para ir à seleção, tens de fazer bem as coisas no clube. O selecionador sempre disse que valoriza todos, então sou selecionável. Se o selecionador considera que mereço estar, porque não? Ficaria encantado. Não deixei a seleção em nenhum momento. O selecionador apostou noutro companheiro, parece-me bem, e nada mais”, vincou.

Da realidade espanhola, falou ainda dos assobios a Ronaldo no último jogo e da resposta do português. “Se os assobios a Ronaldo me fazem recordar alguma coisa? O que posso dizer?… Exigem muito a Cristiano Ronaldo. Como adepto do Real Madrid, não entendo como estas coisas acontecem.”

Comparação “Benfica é o Real e o FC Porto é o Barcelona”

Habituado à rivalidade entre o Real Madrid e o Barcelona, Casillas comparou a realidade espanhola com a portuguesa. “Os clubes portugueses mais modestos não têm tantos adeptos. A maioria destes é do FC Porto, Benfica ou Sporting. O Benfica é um pouco como o Real Madrid, é o clube da capital. O FC Porto é como o Barcelona”, declarou o guarda-redes, falando ainda da rivalidade entre o norte e o sul de Portugal.

 

Fonte: Ojogo