Comunicado

Em face de notícias vindas a público sobre um encontro de trabalho entre os responsáveis pela comunicação do FC Porto e Sporting CP, apelidada pelo jornal Correio da Manhã, pelo canal de televisão CMTV e o seu comentador José Manuel Freitas como Cimeira anti-Benfica, importa esclarecer o seguinte:

1 – É um facto que a reunião existiu, mas é falso que na base da sua motivação esteja qualquer sentimento “anti”, seja contra quem for.

2 – Os temas que foram abordados prendem-se com questões que consideramos fundamentais para o futuro e pacificação do futebol português e em que, verificámos, existe convergência de posições:
– o vídeo-árbitro e regras da sua implementação;
– a publicidade imediata dos relatórios dos árbitros e dos delegados;
– alterações ao regulamento disciplinar, de modo a que esteja conforme a Constituição da República e a que os castigos sejam confinados ao âmbito estritamente desportivo;
– propostas no sentido de que os recursos para o TAD e Conselho de Justiça tenham efeito suspensivo das decisões do Conselho de Disciplina;
– substituição imediata do coordenador dos delegados da Liga;
– reconhecimento dos títulos do Campeonato de Portugal como sendo de campeões nacionais, como consta da documentação oficial da Federação Portuguesa de Futebol e suas plataformas;
– regresso dos sumaríssimos para lances que o árbitro não tenha visto e sejam detetados pela transmissão televisiva;
– que a lei seja efectivamente cumprida no que respeita às claques e à violência no desporto, doa a quem doer;
– redução dos jogos disputados à noite.

3- As transmissões televisivas de jogos dos dois clubes nas modalidades, bem como a acreditação dos jornalistas dos órgãos dos respetivos clubes, foram também faladas, tendo-se chegado a um entendimento para o acesso dos profissionais de média aos pavilhões.

4 – Concluída esta reunião, verificámos que há caminho que pode e deve ser feito em conjunto, considerando que é muito mais aquilo que nos une do que aquilo que nos separa.

5 – Em face do que consideramos ser a urgência e necessidade de pacificação do futebol português, da obrigatoriedade de introduzir maior transparência e verdade desportiva e de defender aqueles que são os valores que devem nortear o desporto nacional, entendem os dois clubes estarem reunidas as condições para que seja desencadeado de imediato o processo de reatamento das relações institucionais entre o FC Porto e o Sporting CP.

Francisco J. Marques
Diretor de Informação e Comunicação do FC Porto

Nuno Saraiva
Diretor de Comunicação do Sporting CP

Fonte: FC Porto