Já viste este telemovel igual ao Galaxy S8, Octacore, Camara 16Mp da Sony, Touch ID...etc por APENAS 100€? Visita o nosso link e não pagas portes de envio nem taxas alfandegárias!

CLICA AQUI

Corona: “Hoje em dia estamos mais fortes”

Mexicano deu entrevista ao “Jornal de Notícias” em que destaca o facto de o plantel funcionar como uma família

 

Já totalmente adaptado ao clube e à cidade, Corona sublinha que o objetivo em 2016/17 é conseguir o título nacional, mesmo que, “desde o início do campeonato”, o plantel saiba que terá “de lutar contra todos”. Em entrevista ao Jornal de Notícias, publicada este domingo, o mexicano – que chegou ao Dragão no final de agosto de 2015 – admite que faltava união ao grupo e que o treinador tem trabalhado esse aspeto: “O Nuno uniu-nos. Vamos lutar e dar a vida”.

“A pouco e pouco fomos criando essa família dentro do grupo. São boas pessoas e grandíssimos jogadores, com capacidade para o mostrar. Era uma das coisas que faltava ao FC Porto, essa união que havia antes. O treinador soube trabalhar isso muito bem, soube tratar-nos e apoiar-nos, respeitando certas linhas, e correu bem”, declarou, explicando depois, na prática, aquilo a que se refere. “Hoje em dia estamos mais fortes. O mais importante numa equipa é ter essa filosofia, dizer: ‘eu ajudo-te, eu apoio-te, eu estou atrás de ti para te apoiar e defender-te de algum erro. Hoje, a equipa tem isso.”

O avançado de 23 anos, que já passou pelo Monterrey e pelos holandeses do Twente, fala também da sua adaptação ao clube, facilitada pelo facto de ter encontrado vários mexicanos no clube, como Herrera, Layún, Omar Govea e até Diego Reyes. “O que dizem sobre ter que haver um ano de adaptação está certo. O ano passado foi um momento de me adaptar à cidade, à equipa e aos meus colegas. Hoje sinto-me com responsabilidade para cumprir os meus objetivos, como jogador, como parte do plantel, e ajudar a minha equipa para sermos campeões. Esse é o meu objetivo para este ano”, resumiu.

De resto, “campeões” é uma palavra-chave na entrevista: “O que eu penso agora – e é assim que penso nas equipas em que estou –, é estar tranquilo, desfrutar o futebol e ajudar a minha equipa. O objetivo de todos é sermos campeões. Porém, temos de trabalhar em tudo, na união fora do relvado, para poder levar a equipa a grandes coisas. Não penso noutra coisa, se se trabalha as coisas aparecem por si só”.

Fonte: FC Porto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *