Danilo foi até torcer

O OUTRO HERÓI DO CLÁSSICO

SACRIFÍCIO Trinco terminou o clássico em sofrimento, dando um exemplo de abnegação e compromisso que a SAD aplaudiu

Da página 1 Um toque no pé direito a meio da segunda parte deixou o trinco diminuído fisicamente. No final nem conseguiu ir agradecer aos adeptos tais eram as dores. Situação para reavaliar nesta manhã no Olival

Parado: no final do jogo nem conseguiu festejar com os companheiros e com os adeptos Exemplo: mesmo com dores, ajudou quando a equipa mais precisavaDanilo terminou o clássico em sofrimento devido a um toque que levou no pé direito sensivelmente a meio da segunda parte. Apesar das fortes dores que sentia, o trinco aguentou até ao fim da partida dando um exemplo de abnegação, entrega, carácter e profissionalismo que agradou sobremaneira a toda a estrutura dos dragões. Assumindo um compromisso com a vitória e, sobretudo, com a equipa, Danilo procurou esquecer o problema e manteve-se em campo até porque Nuno Espírito Santo esgotou as substituições aos 83’ (saiu Corona e entrou João Carlos Teixeira) e foi, precisamente, nos últimos momentos do encontro, quando o Sporting procurou com maior intensidade chegar ao empate que as dores mais afligiram o internacional português. De tal forma que mal Hugo Miguel deu por terminado o encontro, não foi festejar com os companheiros e os adeptos.

Enquanto Jorge Jesus dava os parabéns a Casillas pela enorme defesa ao cabeceamento de Coates e os colegas de equipa agradeciam o apoio dos portistas, Danilo sentou-se no relvado, tirou a chuteira direita e não escondeu o sofrimento enquanto mexia com as mãos na zona afetada.

As consequências deste sacrifício em nome da equipa ainda não são conhecidas. No domingo houve treino, mas os jogadores utilizados na vitória sobre o Sporting não subiram sequer ao relvado, fazendo apenas trabalho de regeneração muscular. Ou seja, ainda não se sabes e Da nilo tem alguma lesão que possa ser impeditiva para a deslocação a Guimarães ouse a questão ficou resolvida como descanso destes dias. O treino de hoje será, nesse sentido, essencial para se perceber em que estado está o médio mais utilizado por Nuno ao longo da temporada.

Danilo deu o exemplo dentro do campo, pela abnegação e espírito de sacrifício que demonstrou e foi por atitudes destas, daquilo que a estrutura considera ser um jogador “à Porto” que a SAD resolveu, no final do ano passado, renovarlhe o contrato com a devida compensação salarial. O trinco passou a ter uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros – capaz de assustar alguns dos tubarões do futebol europeu – e uma ligação ao clube até junho de 2022. “O jogador do FC Porto assenta em três pilares, como eu falei quando cheguei: compromisso, cooperação e comunicação… Se acrescentarmos a nossa determinação, temos a nossa atitude”, explicou Nuno na famosa conferência de Imprensa em que usou pela primeira vez os desenhos para passar a mensagem. O treinador portista não estava a referir-se em particular a Danilo, mas o “comendador” portista tem mostrado todas essas características, de tal forma que, mesmo estando no segundo ano no FC Porto, já é um dos capitães…

Arsenal não desiste e voltou a observá-lo

Boa Morte, elemento do departamento de scouting dos gunners responsável pelo mercado português, esteve no Dragão a assistir ao jogo com o Sporting

As observações a Danilo são constantes e servem apenas para avaliar a evolução do jogador. Já ninguém tem dúvidas de que se trata de um valor seguro do FC Porto e da Seleção Nacional

Danilo teve uma atuação importante no clássico com o SportingDanilo renovou o contrato com o FC Porto até 2022 e a cláusula de rescisão subiu dos 40 para os 60 milhões de euros, mas isso não parece assustar os “tubarões” do futebol europeu. O médio do FC Porto está a realizar uma grande temporada, tal como já havia acontecido na época passada, além de ser um dos indiscutíveis nos eleitos do selecionador nacional. É, portanto, natural que os grandes clubes estejam nas bancadas a observá-lo. O Arsenal é um deles. O clube londrino tem sido presença assídua nos jogos do FC Porto e não desiste. As observações têm sido constantes, a última das quais no último sábado. Segundo O JOGO apurou, Boa Morte, elemento do departamento desc ou tingd os gunners, esteve no Dragão e certamente teve motivos para enviar mais um relatório positivo para Arsène Wenger, treinador da equipa londrina. Danilo voltou a ser fundamental, tanto a defender como a construir jogo, tendo mesmo sido ele a fazer a assistência para o segundo golo de Soares.

As observações do Arsenal a Danilo têm sido constantes e começaram na época passada. Nos primeiros tempos do médio no FC Porto, e numa altura em que se discutia a titularidade entre Rúben Neves e Danilo, chegou a escrever-se que Boa Morte teria viajado até ao Funchal para assistir ao União da Madeira-FC Porto com a finalidade de observar Rúben Neves. Nada mais falso, até porque o olheiro dos gunners chegou a confirmar a O JOGO que já sabia que o internacional sub-21 português não podia jogar. O objetivo era claro, fazer mais um relatório sobre Danilo para enviar para Londres. E as observações prosseguem nesta temporada. O objetivo é analisar a evolução do jogador. O conhecimento, esse, é profundo e vem de longe. “Já conheço o Danilo desde que ele tinha 15/16 anos. Não me surpreende o que tem feito e como tem evoluído. Sigo-o desde que jogava no Benfica. Impôs-se no Marítimo e agora no FC Porto. Tem mostrado a sua qualidade e tem crescido de jogo para jogo. Tem tido uma evolução impressionante ”, declarou Boa Morte aO JOGO numa entrevista publicada dia 25 de dezembro de 2015

Fonte: Ojogo