Dez locais de visita obrigatória em Copenhaga

Um guia para conhecer a cidade à qual o FC Porto regressa quase 30 anos depois

 

Bem-vindos ao mais antigo reino da Europa, bem-vindos a uma das mais antigas capitais do Velho Continente. Copenhaga é uma cidade cosmopolita e pacata, sem a agitação das grandes metrópoles, que se tem modernizado ao longo dos tempos, rivalizando com Estocolmo pelo lugar da primeira capital do Norte da Europa. É lá que esta terça-feira, em jogo da quinta jornada da Liga dos Campeões, o FC Porto defronta a equipa à qual a cidade empresta o nome, quase 30 anos depois de lá ter jogado pela última vez, diante do Brondby, na caminhada para a conquista da Taça dos Campeões Europeus, em Viena.

Com uma população urbana de cerca de 1,2 milhões de habitantes e uma população metropolitana de aproximadamente 1,9 milhões, a capital dinamarquesa oferece diversas atrações para todos os gostos com o seu passado refletido nas ruelas antigas, nos monumentos e museus, nas galerias, nos encantadores Jardins Tivoli e na mais antiga residência monárquica. Copenhaga é uma cidade cujo passado fascinante coexiste com as últimas tendências da arquitetura, do design e da moda.

Nyhavn
Construído no século XVII, foi um porto muito movimentado, sendo hoje um dos pontos turísticos mais populares da cidade, conhecido pelos seus bares, restaurantes, cafés e lojas de antiguidades. É aqui que podemos encontrar as famosas casinhas coloridas e onde partem os passeios de barco pelos canais que recortam Copenhaga.

Estátua da Pequena Sereia (Little Mermaid)
É um dos símbolos de Copenhaga, em homenagem à história da Pequena Sereia, da autoria do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen. Na zona próxima da estátua não deixe de admirar a Fonte Gefion, uma das mais belas da cidade, e passear pelo Kastellet, uma antiga vila, onde pode encontrar parques, igrejas, museus e moinhos de vento.

Palácio Real de Amalienborg
A residência oficial da Família real dinamarquesa é uma das maiores obras arquitetónicas do país e um dos edifícios mais refinados do estilo rococó. Datado do século XVII, é constituído por quatro palácios simétricos, onde todos os dias se faz a troca da guarda, que vale sempre a apena assistir.

Castelo de Rosenborg
Um admirável exemplo da arquitetura renascentista construído há mais de 400 anos e que guarda as coleções reais dos últimos monarcas da Dinamarca. Os jardins, também de origens renascentistas, também merecem uma visita.


Rundetaarn

A Torre Redonda, em português, data do século XVII, alberga o mais antigo observatório europeu em atividade e ainda oferece uma vista panorâmica sobre a zona antiga da cidade.

Stroget
É uma das mais compridas avenidas pedestres da Europa, com 1,1 quilómetros de extensão, e a principal zona de comércio da capital dinamarquesa, com inúmeras lojas e restaurantes. Termina na praça Kongens Nytorv, a maior da cidade, com vista para o Teatro Real, o Palácio Charlottenborg e o Palácio Thott.

Câmara municipal (Citty Hall)
Situado no coração de Copenhaga, é um dos mais altos edifícios da cidade, com 105,6 metros. Na envolvente da praça onde se ergue a câmara municipal (na foto principal) encontram-se a Fonte do Dragão, a estátua de Hans Christian Andersen e ainda os Jardins Tivoli (na foto à direita), o segundo parque de diversões mais antigo do mundo, com arquitetura exótica, edifícios históricos e ainda uma vasta programação cultural.

Christiania
Conhecida como A cidade livre foi construída por iniciativa de um grupo de moradores do bairro Christianshaven, que ali criaram um mundo à parte, com uma sociedade baseada nos ideais anarquistas, onde impera a liberdade e onde poucas coisas são proibidas, como, por exemplo, tirar fotografias e correr.

Palácio de Christiansborg
Reconstruído por diversas vezes, hoje é a sede dos poderes executivo, legislativo e judiciário da Dinamarca. Vale a pena visitar a capela os e seus jardins, além da Ponte de Mármore (The Marble Bridge) que dá acesso a uma das entradas do palácio. É conhecido popularmente por “Borgen” e deu o nome a uma série televisiva que passou em Portugal com grande sucesso.

Museu Nacional (National Museum)
Com entrada gratuita, é o maior museu de história da Dinamarca, com mais de 250 mil obras que contam 14 mil anos da história local, desde a era do gelo até os dias de hoje, com destaque natural para a época dos viquingues.

Créditos: Wikipedia

FONTE/ FC PORTO