Diretor de Comunicação do FC Porto comenta email de Tiago Pinto divulgado na Internet

“Não se pode falar em verdade desportiva quando o Benfica está metido no meio”

Diretor de Comunicação do FC Porto comenta email divulgado na Internet

Na última semana vários emails ligados a dirigentes do Benfica foram divulgados na Internet e esse foi o tema escolhido por Francisco J. Marques para abrir o debate no programa Universo Porto, do Porto Canal.

O diretor de comunicação do FC Porto pega numa email enviado por Tiago Pinto, agora diretor geral para o futebol, mas que na época passada ocupava função semelhante nas modalidades, para o presidente Luís Filipe Vieira. “Fomos mostrando, ao longo dos meses, a teia que Benfica montou para ter controlo de várias entidades para servirem os interesses do Benfica. Nos emails revelados na internet, são pessoas do Benfica que confirmam isso mesmo. Tiago Pinto, num email enviado em 14 de março de 2017, referente às modalidades, que era responsável na época passada, faz uma extensa análises daquilo que o Benfica tem de fazer para ganhar. ‘Continuar o trabalho na teia de poder que temos conseguido com instituições, clubes, imprensa, para que se possam somar pequenas vitórias em todos os campos (empréstimos de jogadores, relações com federação, conselhos de arbitragem e afins’. Ora ele assume que o Benfica faz trabalho para ter controlo sobre sem número de coisas. O desporto português corre o risco de ser uma enorme mentira, porque há um clube que procura tudo a seu favor, com pessoas certas nos lugares certos. Todos nos lembramos da frase do Vieira que disse que mais importante que contratar jogadores era meter pessoas na Liga. É um poder irregular, porque procura adulterar normal decurso das competições. Não se pode falar em verdade desportiva quando o Benfica está metido no meio. Este mail de Tiago Pinto ilustra isso mesmo”, lembra Francisco J. Marques.

O diretor portista referiu-se igualmente a um email, tornado público esta terça-feira, que apontam no sentido do Benfica pretender “controlar a comunicação social”. “Em março do ano passado, pouco tempo depois de revelarmos a existências das cartilhas, Carlos Janela presta-se a fazer coisas ignóbeis”, acusou Francisco J. Marques, dando depois conta de um email em que Janela refere-se à criação de um blogue. “‘Em anexo envio o orçamento do blogue para sua provação'”, leu, dando depois conta de uma lista em que figuram as iniciais de vários jornalistas. “O Carlos Janela pôs na lama estes nomes. Estas iniciais têm nome e cara. Se isto não for verdade, o senhor Carlos Janela tem de pedir desculpa às pessoas, aos adeptos em Portugal e desaparecer. Ele é nocivo ao futebol”.

Fonte: OJOGO