Dragões arriscam multa e jogos à porta fechada

CÂNTICOS PODEM DAR CASTIGO AO FC PORTO

“A letra da música entoada (…) não é mais do que uma sátira sem quaisquer consequências reais”
Super Dragões
“Tais factos não são próprios de pessoas de bem e do meio desportivo”
Chapecoense

Da página 1 Regulamento da Federação de Andebol prevê sanções para “expressões de intolerância” e o caso seguiu para o Conselho de Disciplina. Multa vai de 2500 a 200 mil euros e até 12 jogos à porta fechada

Claque não repetirá cânticos ofensivos, mas o mal está feito: a equipa portista pode ser penalizada

O FC Porto poderá ser castigado com até 12 jogos à porta fechada e uma multa entre 2500 e 200 mil euros devido aos cânticos dos adeptos, anteontem, durante o FC Porto-Benfica referente à fase final do campeonato nacional de andebol, uma vez que, diz o artigo 8.º do Regulamento Geral da Federação de Andebol de Portugal, é dever do clube anfitrião “zelar” pelo comportamento dos grupos organizados de adeptos.

O andebol adotou, como todas as federações, a legislação criada peloIPDJ( Instituto Português do Desporto e Juventude), queéexp lícitas obre o mau comportamento das claques. Está prevista a penalização a clubes que apoiem “grupos organizados de adeptos que adotem sinais, símbolos ou expressões que incitemà violência,aorac is mo,à xenofobia, à intolerância nos espetáculos desportivos ou a qualquer outra forma de discriminação”. Será numa destas categorias que se enquadrará o cântico“Ai quem me dera que o avião do Chapecoense fosse do Benfica”, que indignou até o clube brasileiro – este apontou a “referência desairosa e ofensiva” do“canto agressivo e de de sr espeitoà memória dosm ortose do clube”.

A Federação de Andebol remeteu ontem o caso para o Conselho de Disciplina, que na sua regulamentação tem prevista uma coima entre 2500 e 200 mil euros e a possibilidade de uma sanção acessória, “em função da gravidade da infração e da culpa do agente”, de realização “de um período até 12 espetáculos à porta fechada”.

OFCPortodemarcou-sedesde logo do comportamento dos Super Dragões, o que poderá funcionar como atenuante, e a própria claque fez ontem um comunicado dizendo estar “solidária com a tragédia ocorrida com a equipa brasileira do Chapecoense” e que a letra da música não era “mais do que uma sátira sem quaisquer consequências reais”, prometendo que “não se vai repetir”.

Independentemente das decisões que serão tomadas pelo Conselho de Disciplina, também o IPDJ pode intervir e penalizar o FC Porto, que esta temporada apenas terá mais dois jogos no Dragão Caixa, com ABC e Águas Santas, nos dias 28 de abril e 27 de maio, respetivamente.