Dragões Diário 06/11/2016

Bom dia,

De casa
Hoje é dia de clássico. Às 18h00, será dado o pontapé de saída para um “jogo diferente para todos os portistas, pelo significado que tem”, como ontem admitiu Nuno Espírito Santo, em conferência de imprensa. Será o seu primeiro clássico como treinador no Estádio do Dragão e o “único cenário” contemplado é a vitória sobre o Benfica. Nuno apelou ao “12.º jogador”, os portistas que vão encher o recinto, frisou a confiança no trabalho do árbitro Artur Soares Dias e assumiu que parte importante do trabalho da equipa técnica é fazer com que a “motivação” do jovem plantel azul e branco não se torne em “ansiedade”.

Uma das perguntas feitas a Nuno remetia-o para o seu passado como jogador e para os clássicos que disputou. Na resposta, o técnico lembrou os dados favoráveis ao FC Porto nos últimos 20 anos, que fomos esmiuçar: em casa, foram 15 as vitórias, três os empates e apenas duas as derrotas. Neste lançamento do encontro pode ainda encontrar mais dados e curiosidades: por exemplo, o triunfo do ano passado (1-0), com um golo de André André, foi o 50.º caseiro frente aos lisboetas, para a Liga.

Não há lesões nem castigos, pelo que Nuno Espírito Santo vai voltar a ter para este jogo o “bendito problema” de ter todos disponíveis e ser obrigado a fazer escolhas. Ontem, João Costa e Chidozie treinaram com a equipa B, enquanto Mouhamed Mbaye fez o percurso inverso e integrou os trabalhos da equipa principal. O plantel ainda treina esta manhã, pelas 11h00, no Olival.

Já se sabe que a lotação para logo está esgotada (o jogo passa em direto na Sport TV 1) e os grandes encontros obrigam sempre a alguns cuidados especiais. As portas do Dragão abrem às 16h00 e será estabelecido um perímetro em torno da praça, com o acesso ao seu interior a ser limitado aos adeptos portadores de entrada válida. Leia aqui todas as recomendações e recorde, se necessário, o esclarecimento de sexta-feira sobre a transmissibilidade de lugares anuais. Se tem dúvidas sobre este tema, pode contactar o serviço de atendimento telefónico (225 083 352), a partir das 10h00, ou o correio eletrónico servicoaocliente@fcporto.pt.

No hóquei em patins, o FC Porto Fidelidade interrompeu ontem o percurso 100 por cento vitorioso na época 2016/17, ao empatar em casa (1-1) frente ao Mérignac, em jogo da primeira jornada do grupo B da Liga Europeia, que também integra os italianos do Bassano e os espanhóis do FC Barcelona. Jorge Silva abriu o marcador, logo aos três minutos, e o resultado manteve-se em 1-0 até 19 segundos do fim, quando os franceses conseguiram o empate. Na próxima jornada, a 26 de novembro, em Bassano del Grappa, os Dragões terão de começar a recuperar os pontos perdidos frente ao adversário teoricamente mais frágil do agrupamento.

Guillem Cabestany reconheceu que o FC Porto cometeu “muitos erros” e assumiu a responsabilidade pelo resultado. O treinador destacou a exibição inspirada do guarda-redes adversário e a ansiedade que se apoderou da equipa por não ter chegado ao segundo golo. A recuperação da confiança e da melhor forma terá de ser feita na base “da humildade e do trabalho em cada treino e em cada jogo”.

Noutras modalidades, o dia de ontem trouxe boas notícias: no ténis de mesa adaptado, Pedro Cardoso e António Macedo conseguiram a segunda Supertaça consecutiva, em Santo Tirso; no boxe, os Dragões garantiram a presença nos Nacionais, com Pedro Ribeiro e António Filipe em destaque.

Do Mundo
As eleições presidenciais americanas são já depois de amanhã e continua a ser Donald Trump a agitar as águas. Ontem, o republicano garantiu que criará um imposto de 35 por cento para as empresas que despeçam trabalhadores para deslocalizar a produção para o estrangeiro. Por outro lado, recebeu uma má notícia: a Associated Press revelou que a mulher, Melania, nascida na Eslovénia, terá feito trabalhos remunerados como modelo ainda antes de obter autorização para trabalhar nos Estados Unidos. Esta é uma prática que Trump sempre criticou e Melania garantira sempre não ter violado qualquer regra de imigração.

Continua o drama no Mediterrâneo. Ontem foram encontrados dez corpos num barco pneumático ao largo da costa Líbia e a Cruz Vermelha líbia anunciou ter encontrado, em menos de uma semana, corpos de 40 migrantes que procuravam alcançar a Europa. Mais de 2.200 pessoas terão sido salvas ontem, em 16 operações de socorro, segundo dados avançados pela Guarda Costeira Italiana.

Aconteceu
Há 61 anos, o FC Porto vencia o Benfica por 3-0, o que esperamos que seja um bom presságio para o jogo de hoje. Em 1955, os golos de Gastão, Jaburu e Teixeira, na oitava jornada do Campeonato Nacional, permitiram aos Dragões ultrapassar os lisboetas na tabela e a equipa de Yustrich não voltaria a perder o primeiro lugar. O título de 1955/56 foi conquistado em igualdade pontual com o Benfica, graças ao melhor saldo de golos, e pôs fim a 16 anos de jejum de títulos nacionais.

Para ver
Quer vá ao estádio quer fique em casa, fique a saber que o Porto Canal tem uma grande emissão prevista em torno do clássico. Logo às 11h00 há um especial de uma hora e, entre as 14h00 e as 18h00, a emissão será ininterrupta a partir do Dragão. A análise ao que se passou no relvado também será alargada, terminando apenas às 22h00.

Para ouvir
Para dar o tom para o clássico, hoje recuperamos uma canção muito especial e muito ouvida para os lados das Antas, nos meados dos anos 1980. É um hino alternativo do nosso clube, com letra de António Tavares Teles e música de Tozé Brito. Citamos três versos: “Que ser do Porto é nunca estarmos sós /É gritarmos sozinhos e de repente /Ter um milhão de vozes na nossa voz”. É impossível dizê-lo melhor.

Até amanhã,

João Pedro Barros

FONTE/FC PORTO