Dragões Diário 07/11/2016

Bom dia,

De casa
O clássico teve um final amargo, com o empate a um golo a ficar muito, muito longe de refletir o que se passou no campo. Há empates difíceis de engolir e este foi um deles, porque a nossa equipa foi muito superior, mas a sorte grande e a terminação saiu ao Benfica, que marcou nos descontos, depois de um jogo em que não foi capaz de criar uma jogada de perigo.

A realidade é que o FC Porto continua a cinco pontos da frente e depois do duro golpe que foi empatar um jogo em que a equipa jogou bem e foi tão superior há apenas uma coisa a fazer, manter esta atitude e com certeza a sorte não será sempre tão madrasta como tem sido neste início de época.

Nuno Espírito Santo classificou o resultado “cruel e injusto“, elogiou o desempenho da equipa, em especial a primeira parte, e deixou palavras de esperança, porque quem joga tão bem não pode ter medo do futuro: “Quando jogámos assim e conseguimos submeter o rival, estamos na luta. Queríamos estar só a dois pontos, estamos a cinco mas convictos de que vamos estar até ao final na luta”.

Diogo Jota era a imagem da desilusão, ele que marcou o golo do FC Porto, num excelente remate. “Fizemos uma primeira parte de grande nível, não deixámos o Benfica respirar. Na segunda parte fizemos o mesmo até chegarmos ao golo. Tivemos um infortúnio agora no final e é duro sofrer assim, mas ainda há muito campeonato e vamos continuar a acreditar“.

Uma palavra para um lance que ilustra o estado da arbitragem em Portugal. Aos 25 minutos Felipe beneficiou de uma bola que lhe bateu no braço para assistir André Silva meter a bola na baliza. Artur Soares Dias marcou falta, o que em boa verdade é a decisão comummente aceite no mundo do futebol. Tudo bem, não se fala mais nisso. Só foi pena na visita do FC Porto a Alvalade o tal critério comummente aceite pelo mundo do futebol ter merecido uma exceção que custou uma derrota à nossa equipa. De uma vez por todas, os critérios têm de ser iguais para todos. Uma bola no braço de Felipe é mais falta do que uma bola no braço de Bryan Ruiz, ou será que é tudo uma questão da cor das camisolas? Depois, há pelo menos um lance na área para os especialistas se pronunciarem.

As competições de clubes dão agora lugar às seleções e o FC Porto volta aos treinos amanhã, com uma sessão marcada para as 10h00, no Centro de Treinos e Formação Desportiva, no Olival.

O FC Porto B perdeu ontem de manhã no terreno do Cova da Piedade por 1-0, resultado que mantém a equipa no meio da tabela, com 19 pontos. Os “bês” foram a equipa mais rematadora, mas acabaram surpreendidos com o golo de Dieguinho perto do intervalo.

Do Mundo
“Acalme-se” parece ser, segundo os especialistas, a pior coisa que se pode dizer a um doente em stress, ou furioso. A maioria das queixas dos pacientes não têm a ver com a competência técnica dos médicos, mas sim com a falta de capacidade de comunicação, especialmente perante doentes em stress.  A recém-criada Sociedade Portuguesa de Comunicação Clínica em Cuidados de Saúde quer acabar com isso e humanizar o contacto com doentes.

O Papa Francisco pediu às autoridades de todo o mundo para não encararam a prisão como único caminho e propôs “um ato de clemência” que permita a reintegração na sociedade de alguns condenados. Francisco falava no Jubileu dos Reclusos, no Vaticano, perante milhares de pessoas e mais de mil reclusos e ex-reclusos, entre os quais alguns portugueses.

Aconteceu
A 7 de novembro de 1950, há 66 anos, morre Tinoco, o mais famoso adepto do nosso clube na primeira metade do século XX. Taxista de profissão, Tinoco acompanhava a equipa para todo o lado e as principais figuras da equipa, como Virgílio, Barrigana, Guilhar e Carvalho só usavam o táxi do ferrenho Tinoco.

Para ouvir
Sarah Neufeld é violinista dos celebrados Arade Fure e aventurou-se agora numa carreira a solo, paralela com a que mantém na banda canadiana. Aqui pode ouvir um dos temas do primeiro disco em nome próprio.

Até amanhã,

Francisco J. Marques

FONTE/FC PORTO