Dragões Diário 21/02/2017

Bom dia,

De casa
Danilo Pereira, que já jogou no Parma, experiência da qual não guarda grandes recordações, deu uma entrevista ao jornal italiano “La Repubblica” e assumiu que “a verdadeira força” do FC Porto é “a amizade” que une a equipa. Pode parecer pouco, mas esse é o principal argumento que o campeão europeu agita perante o “poderio financeiro” da Juventus. Mas há mais. “Acredito na nossa equipa e na nossa organização defensiva”, disse. “No ataque, temos jovens com talento que podem fazer a diferença”.

Rui Pedro, um dos jovens de que fala Danilo, foi o ausente no treino de ontem, o penúltimo antes do jogo com a Juventus. O último está marcado para a tarde de hoje (18h00), no Estádio do Dragão, pouco mais de uma hora depois de Nuno Espírito Santo abrir a conferência de imprensa de antevisão do encontro da primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões, para o qual só restam 1.400 bilhetes.

Por falar em treino, Rui Barros, treinador adjunto de Nuno Espírito Santo, que jogou no FC Porto e na Juventus, falou ao jornal “Corriere della Sera” e partiu a eliminatória ao meio. É fifty-fifty, 50-50, diz “Il Piccolo”, sem reconhecer favoritos e mesmo admitindo que a Juve voltou a ser “uma equipa fantástica, à altura da sua grande história”. E vai avisando: “Lutaremos com as nossas armas, que não são poucas”.

Doutor Brych, se faz favor! Sim, Felix Brych, o árbitro que amanhã dirige o FC Porto-Juventus, é doutorado em Direito e até já escreveu um livro com o título curto e sugestivo “Möglichkeiten und Grenzen der gemeindlichen Förderung des Berufssports aus rechtlicher Sicht”, no qual aborda, ao longo de 140 páginas e sempre do ponto de vista legal, as possibilidades e os limites da promoção do desporto profissional pelas autarquias. Que outro árbitro se pode gabar de ter feito o mesmo? Brych nasceu em Munique, na Alemanha, há 41 anos, foi promovido à categoria de elite em 2009 e já se cruzou com os Dragões nas vitórias azuis e brancas sobre o Athletic Bilbau, o Shakhtar Donetsk e o APOEL, e no empate com o Dínamo Kiev.

A última vez, que também foi a primeira, em que um árbitro alemão dirigiu um jogo entre FC Porto e Juventus, a coisa não acabou bem. Em Basileia, a 16 de maio de 1984, os italianos levantaram a Taça das Taças depois de Adolph Prokop permitir que Boniek fechasse o resultado enquanto cometia falta sobre João Pinto. E ainda houve o empurrão a Vermelhinho e a mão de Scirea, dois penáltis que ficaram por marcar. Leia aqui esta e outras dez histórias sobre o adversário do FC Porto nos oitavos de final da Champions publicadas na edição de dezembro de 2016 da revista “Dragões”. Sabe, por exemplo, por que razão chamam “Velha Senhora” à Juventus, que, por suprema ironia, significa “juventude” em latim? Fique a saber.

Embora o foco do FC Porto B esteja apontado à Segunda Liga, António Folha garante que não deixará de “lutar pela vitória” quando amanhã defrontar o Manchester United no Leigh Sports Village, em Inglaterra. O jogo é dos quartos de final da Premier League International Cup, começa às 19h00 e o treinador reconhece que só uma exibição de “bom nível” pode dar a vitória.

Hoje mesmo, no Olival, a equipa de Sub-19 do FC Porto defronta o Viitorul Constanta, da Roménia, em jogo dos oitavos de final da UEFA Youth League. Antes do encontro, o único da eliminatória, João Brandão, o treinador, destacou as “coisas fantásticas” que a prova proporciona e desaconselhou a associação de ideias entre equipas Sub-19 e equipas principais: “Não vamos defrontar uma equipa com grandes tradições a nível europeu, mas os resultados que conseguiu dizem bem da valia que tem”. Para seguir em direto a partir das 14h00 na Sport.TV1.

“Bola para a frente” também é solução no andebol. Ou, pelo menos, solução válida para Gustavo Rodrigues, que tem pressa para “limpar as derrotas” na Taça EHF e “seguir em frente” no Andebol 1. No regresso à realidade nacional, o FC Porto acerta o calendário esta noite, com a receção à Académica de S. Mamede, e o lateral direito brasileiro lembra que em casa a equipa de Ricardo Costa é sempre favorita. O jogo começa às 20h30 e tem transmissão em direto e em exclusivo no Porto Canal.

Do Mundo
Está a ver aqueles 30 segundos de publicidade que nunca mais acabam? Pois vai deixar de ver. A partir de 2018, os anúncios do YouTube que não pode passar à frente, antes de assistir ao vídeo que motivou o seu clique, vão simplesmente desaparecer. Foi um representante da Google que o confirmou no programa Newsround, da BBC. Em contrapartida – pois, há sempre um “mas” – já estão a ser estudados outros formatos publicitários que “funcionem bem, quer para utilizadores, quer para anunciantes”, disse Will Smyth.

Foi mais um ataque de Trump. Mas foi só um ataque ao rigor, felizmente. Enquanto discursava na Florida, tentando justificar a sua política anti-imigração, o presidente dos Estados Unidos fez referência a um ataque terrorista na Suécia, que, na verdade, nunca aconteceu… O lapso motivou a indignação a nível planetário e também algumas reações bem-humoradas, a começar por Carl Bildt, o primeiro-ministro sueco, que perguntou no Twitter: “O que é que ele fumou?”. E logo depois vieram os Abba, os nus e a IKEA.

Aconteceu
Há 40 anos, a 21 de fevereiro de 1977, o FC Porto goleava (7-1) o Montijo nas Antas, em jogo dos 16 avos de final da Taça de Portugal, que os Dragões conquistariam três meses depois. Octávio, Gomes, Oliveira (2) e Duda (3) compuseram a goleada. Na semana seguinte, o Montijo regressou às Antas e voltou a sofrer sete golos, mas já em encontro da 19.ª jornada da Liga portuguesa. Carlos Pereira, que tinha feito o golo do Montijo na partida da Taça, enganou-se na baliza durante a jogo do campeonato e deu ainda maior expressão à soma dos “hat-tricks” de Gomes e Duda.

Para ouvir
O álbum já tinha sido tocado nas comemorações da queda do Muro de Berlim e Roger Waters pretende interpretá-lo agora na fronteira entre os Estados Unidos e o México, no local onde Donald Trump se dispõe a levantar um novo muro. A revelação foi feita pelo próprio Waters, um dos elementos fundadores dos Pink Floyd, à agência France-Presse. Por esta altura, já deve ter percebido de que álbum falamos e dele recuperamos o tema mais emblemático. Sim, falamos do álbum “The Wall”, o 11.º trabalho da banda britânica que se separou em 2014.

Até amanhã,

Alberto Barbosa

Fonte: FC Porto