Dragões Diário 22/02/2017

imagem
Bom dia,

De casa
O adversário é “grandíssimo” e os jogadores “grandíssimos” são. Nuno Espírito Santo fala assim da Juventus, com grande respeito, mas sem medo. Conhece-os bem, à equipa e aos intérpretes, e até os alinhou de trás para a frente, num risco assumido para tentar adivinhar o onze, que, na verdade, parece não lhe fazer grande diferença, porque a diferença, a real diferença, pode chegar da bancada. Disse-o nas entrelinhas, ao assumir a intenção de extrair da atmosfera do estádio a energia capaz de iluminar a equipa e produzir a vitória. Mais do que reescrever a História e acertar contas com a Juve, o treinador do FC Porto, pronto para “competir no máximo”, planeia ganhar vantagem no primeiro dos dois jogos dos oitavos de final da Champions, a partir das 19h45 de hoje.

Ainda antes do último treino no Dragão, sem Rui Pedro, que horas antes tinha apontado um dos três golos com que a equipa de Sub-19 se qualificou para os quartos de final da UEFA Youth League, André Silva perguntava em plena conferência: “Se eu não pensar que vou ser campeão, quem o vai fazer por mim?”. O avançado reconheceu sem esforço que a Juventus “é uma equipa muito boa”, mas negou-lhe o favoritismo. “Nós é que vamos estar por cima”, avisou. É assim, disse André, que a equipa deve pensar.

O jornal italiano “La Gazzetta dello Sport” chama-lhe “o senhor Porto”. É esse, aliás, o título da entrevista a Jorge Nuno Pinto da Costa, assinada por Fillippo Conticello, ao longo da qual o presidente do FC Porto recorda as transferências de Rui Barros e Alex Sandro para a Juventus, e lembra a primeira vez em que as duas equipas se encontraram, em maio de 1984. “Não fomos inferiores, perdemos por culpa de uma prestação menos boa do árbitro”, resumiu, a propósito daquele final de tarde em Basileia. “Foi uma lição: depois da final disse a todos que venceríamos a próxima”. E assim foi em Viena, frente ao Bayern Munique. Pinto da Costa ainda enviou cumprimentos a Silvio Berlusconi, presidente honorário do Milan que diz ser o líder mais titulado de sempre. “É um vencedor, também na política”, reconheceu. “Mas quando se trata de matemática…”.

A equipa de Sub-19 já está nos quartos de final da UEFA Youth League. Ontem, no Olival, venceu o Viitorul Constanta, da Roménia, por 3-0, com golos de Ayoub, Rui Pedro e Madi Queta, e fica agora a aguardar pelo desfecho do jogo entre Barcelona e Borussia Dortmund, que se disputa esta tarde, para saber quem vai ter pela frente. Certo e sabido é que jogará o acesso às meias-finais na condição de visitante.

Depois de uma derrota europeia difícil de digerir, o Andebol 1 devolveu o FC Porto à realidade nacional. Ontem à noite, no Dragão Caixa, a equipa de Ricardo Costa derrotou a Académica de S. Mamede com um resultado expressivo (38-25), somou a 23.ª vitória em 23 jornadas e repôs a vantagem de seis pontos sobre o Sporting, que é segundo. No final do encontro, o treinador deu os parabéns à equipa pelo “jogo sério” diante do último classificado, observando que “os jogadores fizeram tudo” o que lhes pediu.

“Diga 33!”, a expressão que deixou de se ouvir aos médicos a cada vez que auscultavam os pacientes, passa a aplicar-se, desde segunda-feira à noite, com todo o rigor ao bilhar do FC Porto. É que a equipa de carambola, que não se cansa de bater recordes, ampliou para 33 vitórias consecutivas a sequência que iniciou em julho de 2015. Na atual edição da Zona Norte do Campeonato Nacional da 1.ª Divisão, os Dragões derrotaram o Leixões por 3-1 e vão na sétima vitória em sete possíveis.

Com o chefe de fila Gustavo Veloso no pelotão, a W52-FC Porto-Mestre da Cor faz-se hoje aos 158 quilómetros da primeira etapa da Volta ao Alentejo com o objetivo assumido de “discutir a vitória”. A meta foi traçada pelo diretor desportivo Nuno Ribeiro, mesmo sabendo que os azuis e brancos vão pedalar ao lado da Movistar, a única equipa do World Tour a correr a edição deste ano da “Alentejana”, que começa em Portalegre e termina em Évora, no domingo.

Do Mundo
O edifício Oporto Center, que já serviu de casa ao Central Shopping, o primeiro centro comercial com cinemas na Baixa do Porto, vai ganhar mais uma vida depois do fracasso de vários projetos. O imóvel, localizado na Rua de Santos Pousada, próximo do Campo 24 de Agosto, foi arrendado por uma multinacional francesa que ali pretende instalar uma boa parte dos seus serviços informáticos. O melhor da boa notícia é que a estratégia da empresa implica a criação de 600 postos de trabalho em três anos no centro de operações do Porto.

Angelina Jolie, que já foi “Maléfica”, personagem da Disney sobre a qual se diz cobras e lagartos, come escorpiões e tarântulas ao almoço. É verdade! “Começas com grilos e uma cerveja e depois sobes para o escalão das tarântulas”, explicou, divertida, a atriz à reportagem da BBC que a acompanhou no regresso ao Camboja, onde assistiu à estreia e promoveu o filme “First They Killed My Father”, que realizou para a Netflix. Angelina ainda fez mais, confecionou os petiscos e partilhou-os com os filhos e a jornalista, que, por sua vez, partilhou o momento no Twitter. Delicioso, dizem elas.

Aconteceu
Há 16 anos, a 22 de fevereiro de 2001, o FC Porto confirmava a estreia nos quartos de final da Taça UEFA, mesmo depois de permitir a reviravolta do Nantes no “La Beaujoire”, onde Pena colocou os Dragões em vantagem. Na primeira mão dos “oitavos”, disputada uma semana antes no Estádio das Antas, a equipa de Fernando Santos tinha vencido o adversário francês (3-1) com três golos apontados só por defesas: por Esquerdinha, por Secretário e por Gillet, que marcou na própria baliza. Depois de ter jogado as finais da Taça das Taças e da Taça dos Campeões Europeus, o FC Porto atingia pela primeira vez os “quartos” da Taça UEFA. Só foram precisos mais dois anos, três meses e menos um dia para a ganhar.

Para ouvir
Hoje é dia de ouvir esta, a música que “arrepia qualquer um”. As palavras são de Thiago Silva, defesa do PSG, mas o arranjo é de Tony Britten, o diretor musical que pretende transmitir “poder, sucesso, esplendor e grandeza” com o tema que tomou emprestado de Frideric Handel, compositor barroco do século XVIII. Zinedine Zidane, o treinador do Real Madrid, resume o resultado da adaptação numa palavra: é “mágico!”. Se tem dúvidas, desfaça-as esta noite no Dragão, porque Luis Suárez, avançado do Barcelona, garante que o tema “é incrível” mesmo quando ouvido nas bancadas. E, já agora, tome nota deste conjunto de informações úteis.

Até amanhã,

Alberto Barbosa

Fonte: FC Porto