Dragões Diário 29/12/2016

Bom dia,

De casa
O futebol regressa hoje ao Estádio do Dragão, com a receção ao Feirense (19h15, Sport TV) para a Taça da Liga. O FC Porto empatou o primeiro jogo, com o Belenenses, e necessita agora de uma vitória para manter intactas as aspirações no apuramento. Este é o último jogo do ano para a equipa de futebol, oportunidade para conseguir a sexta vitória do mês.

Nuno Espírito Santo quer uma equipa capaz de competir por igual em todas as competições e destaca o espírito que reencontrou depois da curta pausa de Natal: “Vejo os jogadores felizes e com uma vontade tremenda de competir”. O treinador conta ainda com o apoio dos adeptos: “Jogamos no Dragão, com o apoio dos nossos adeptos. Que compareçam e estejam connosco, porque a força que nos transmitem habitualmente é muito importante para nós”.

E a verdade é que restam cinco mil bilhetes para o jogo desta noite. O jogo vai ter grande afluência de público, mas quem não tem bilhete ainda o pode comprar. Para saber como leia aqui.

A equipa prosseguiu ontem com a preparação para o jogo desta noite, ainda com Otávio e Layún ausentes – ambos realizaram tratamento –, numa sessão em que participaram os “bês” Fernando, Inácio, Graça e Rui Pedro. Os últimos retoques para o jogo desta noite serão afinados daqui a pouco, às 10h30, no Olival, antes da concentração para o jogo.

Amanhã é a vez de o basquetebol fechar o ano, com uma excitante deslocação ao Pavilhão da Luz para defrontar o Benfica, em jogo a contar para o campeonato. Os Dragões defendem o título, o play-off ainda vem longe, mas Moncho López fala na motivação que estes jogos sempre originam: “Pensar em vencer em casa deles é sempre motivador”.

Do Mundo
A Câmara de Jerusalém suspendeu a votação para aprovar a construção de novas casas na parte palestiniana da cidade, ocupada por Israel. Esta medida surge na sequência da resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas, que condena a construção de novos colunatos. As autoridades israelitas reagiram com a firmeza habitual logo após a resolução, mas agora parecem abertas ao diálogo.

É uma daquelas histórias que elevam o ser humano bem alto. Daryl Davis é um músico, actor e escritor negro que tem dedicado grande parte da vida a fazer amizade com supremacistas brancos do Ku Klux Klan. “Como é que alguém pode odiar-me sem sequer me conhecer?” foi a pergunta de Davis que tudo desencadeou e em quase 30 anos de ativismo anti-racista já converteu mais de 200 membros do grupo racista. A história pode ser vista em documentário que não tem data prevista para exibição no nosso país. Até que isso aconteça leia isto.

Aconteceu
Há 40 anos, a 29 de dezembro de 1976, o FC Porto encerra o ano com uma vitória gorda ao Alba, para a Taça de Portugal. Oito golos sem resposta, apontados por Duda (dois), Gomes (dois), Júlio (dois), Cubillas e Ademir.

Aposto que são parvos
A Bet.pt é uma empresa de apostas desportivas portuguesa e que até parece que teve um ou outro benefício na fase de licenciamento da atividade. Até aqui tudo bem, tudo fica mal quando se tenta ser engraçadinho numa publicidade sem respeito pelo FC Porto e pelo nosso jogador Depoitre. Se gosta de apostar mais vale fazê-lo numa outra das muitas empresas do género, porque têm a vantagem de não tentarem fazer graçolas sem piada nenhuma.

Para ler
Óliver Torres é a capa da revista Dragões que já está disponível nas FC Porto Stores. O jovem médio espanhol dá uma grande entrevista em que se percebe que está perfeitamente adaptado ao nosso clube: “Um jogador à Porto nunca desiste de lutar”. Mas a revista Dragões não é só futebol e há muito mais para ler, saiba mais aqui.

Para ver
Lucho González é uma das grandes figuras do FC Porto do século XXI. O médio argentino está no Porto e o Porto Canal não deixou fugir a oportunidade de entrevistar “El Comandante”. Veja aqui a entrevista na íntegra.

Para ouvir
Ao terceiro disco, Kevin Morby assume de vez um relevante papel entre os grandes escritores de canções da atualidade. Admirador confesso da cidade do Porto, facto demonstrativo do seu bom gosto, o músico norte-americano dá, com a edição de Singing Saw, um pulo grande na definição de uma marca própria. E inconfundível. A prova está aqui.

Até amanhã,

Francisco J. Marques
Fonte: FC Porto