Dragões reforçam aposta em Diogo Dalot

Fez dois treinos com a equipa principal e, apesar dos 17 anos, já não volta aos juniores

Em maio tem via aberta para o Mundial de sub-20, apesar de ainda ser sub-18. Nenhum outro portista de 17 anos tem uma cláusula de rescisão superior. É aposta do Dragão e cada vez mais forte

Ataque: apesar de ser lateral, é decisivo na frente com muitos golos e assistências Dalot contra o Leixões, no fim de semana passado. Foi o primeiro jogo pela “B”A inscrição de Diogo Dalot nas provas da UEFA só surpreende os mais desatentos. O JOGO fez capa, há cerca de um mês, com o lateraldireito da moda no Olival, um júnior de primeiro ano que já treinava com a equipa B. Entretanto, Dalot estreou-se no jogo contra o Leixões e ficou a saber que não volta aos juniores. Pelo menos de forma permanente. O lateral vai continuar a treinar no futebol profissional e só desce novamente ao seu espaço etário se os sub19 tiverem um jogo decisivo e a equipa B estiver a salvo de qualquer contratempo. Essa decisão foi tomada por António Folha, que o treinou na fase final da época passada e na primeira metade da atual e ratificada por toda a estrutura do futebol profissional.

Há mais projetos na forja, como Afonso Sousa, o neto de António Sousa, mas Dalot é a joia que importa polir no imediato. Com 17 anos (faz 18 em março), o lateral-direito ainda está a tirar a carta de condução, mas mantém-se a rodar numa pista de velocidade superior. Na época passada foi campeão da Europa de sub-17 e chamado a seguir ao Europeu de sub-19, ultrapassando Fernando Fonseca, o titular portista para esse escalão. Na equipa B está a suceder o mesmo. Fernando está com mais dificuldades em jogar pela ascensão meteórica de Diogo. E Rodrigo Soares, o brasileiro que era, habitualmente, o dono da posição, até foi emprestado ao Chaves. O FC Porto B está em lugar perigoso na tabela, mas o lateral goleador oferece garantias.

A inscrição na Liga dos Campeões acaba por dar a visibilidade externa que o jogador já tem internamente. Com Julen Lopetegui, ainda em idade juvenil, foi “convocado” para 15 treinos. Nuno Espírito Santo só ainda o observou em duas ocasiões, ambas à porta fechada e numa delas de urgência, chamando-o dos juniores, onde treinava à mesma hora. Foi da qualidade e excelente resposta que nasceu também a convicção de que valeria a pena somá-lo à lista para a Champions, mesmo que seja praticamente impossível que venha a ser chamado. Afinal, além de Maxi Pereira e Layún, também Herrera consegue jogar a lateral-direito, como se viu contra o Rio Ave.

Dalot, que em novembro renovou até 2019 e ficou com a cláusula de rescisão mais alta de todos os jogadores de 17 anos que o clube tem nos quadros (20 milhões de euros), até pode realizar a préépoca da equipa principal, uma vez que Layún tem a Taça das Confederações e a Gold Cup para jogar. Antes, vai disputar o Mundial de sub-20, escalão orientado por Emílio Peixe, que também promoveu a ultrapassagem de Diogo a Fernando Fonseca. Estará num grupo de uma geração mais velha, mas nada a que não esteja habituado. Em julho há Europeu de sub-19, mas como no clube, também na seleção é difícil que baixe. Até porque em julho há pré-épocas…

 

Fonte: Ojogo