“Esta equipa vai trabalhar e lutar até ao fim”

O FC Porto lidera a época regular e Pedro Bastos acredita que os azuis e brancos estarão ainda mais fortes nos Playoffs

 

Por Bruno Leite

Pedro Bastos é um nome incontornável nos últimos anos do basquetebol portista e experimentou várias sensações. Depois de integrar o projeto Dragon Force, que disputou o Campeonato Nacional da CNB2 e venceu duas vezes a Proliga, o base internacional português, de 22 anos, fez parte do plantel do FC Porto que se sagrou campeão nacional na época de regresso à Liga Portuguesa de Basquetebol.

Sensivelmente dez meses depois da conquista do 12.º título nacional, Pedro Bastos falou com a Dragões sobre os novos desafios e garantiu que o objetivo para o que resta de 2016/17 é erguer novamente o troféu mais desejado. A exigência e a competitividade aumentaram, por isso terá de haver mais e melhor FC Porto para que a festa se volte a fazer de azul e branco.

Ainda é cedo para se fazer um balanço daquilo que tem sido 2016/17?
Esta tem sido uma época com altos e baixos para nós, mas creio que se pode fazer uma retrospetiva positiva. Começámos bem, com a conquista da Supertaça, e creio que melhorámos muito desde aí, apesar de termos tido jogos menos bons e resultados menos positivos, mas são coisas que acontecem no desporto. As coisas não correram como queríamos na Taça Hugo dos Santos e a forma como fomos eliminados da Taça de Portugal também foi muito dura para nós, mas no campeonato estamos bem e acredito que seremos ainda mais fortes à medida que a época avança. Temos trabalhado muito e bem e, agora, cada jogo é uma final. Tenho a certeza de que vamos chegar bem aos Playoffs, sobretudo mentalmente, mas também física e taticamente.

As lesões têm prejudicado o rendimento da equipa ao longo desta época?
As lesões são coisas que acontecem e que sempre vão acontecer ao longo das nossas carreiras, pelo que nunca iremos utilizar isso como desculpa para o que quer que seja. Temos de estar sempre preparados, pois quando falta alguém, há que dar um passo em frente e assumir o que for preciso e dar um pouco mais.

É mais difícil conquistar o campeonato duas vezes consecutivas do que conquistá-lo a primeira vez?
Acho que, esta época, toda a gente consegue ver que o campeonato está mais competitivo e que há equipas que se reforçaram muito bem. A exigência é maior e o próprio nível físico do campeonato também aumentou, pelo que temos de estar preparados para todos os desafios. Mas o campeonato é isso mesmo para nós, um desafio. Fomos campeões na época passada mas sabemos que agora as coisas serão ainda mais difíceis. Temos de trabalhar mais e dar mais de nós todos os dias para chegarmos aos momentos das decisões e as coisas correrem como queremos.

A luta pelo título será decidida entre FC Porto e Benfica ou outras equipas podem intrometer-se?
A luta não será a dois, mas na época passada também não foi, apesar de muita gente achar o contrário. É natural que se pense que o FC Porto e o Benfica estão num patamar superior, mas a Oliveirense, o Vitória de Guimarães ou até o Galitos Barreiro podem ter uma palavra a dizer na luta pelo título, pois são equipas com muita qualidade. Na época passada, o Benfica sentiu muitas dificuldades nas meias-finais dos Playoffs e isso demonstra que é errado pensar-se que a luta pelo título será a dois. Nesta altura já não existem jogos fáceis e teremos de estar sempre ao nosso melhor nível contra todos os adversários.

O FC Porto é uma equipa talhada para crescer à medida que a época avança para a fase decisiva?
Na minha opinião, creio que temos evoluído ao longo da época, tanto individual como coletivamente. Acredito que estaremos mais fortes quando chegarem os Playoffs, até porque na época passada também foi assim. Na fase regular perdemos jogos contra equipas que depois vencemos nos Playoffs. É importante ter a humildade de reconhecer e aprender com os erros, de forma a não os voltar a cometer, sobretudo em momentos decisivos.

A vantagem do fator-casa nos Playoffs é determinante?
Não pensamos na vantagem de ter o fator-casa nos Playoffs, mas não escondemos que gostaríamos de a ter. Nós e qualquer outra equipa. Se se fizer a mesma pergunta a todos os jogadores das outras equipas, todos dirão que preferiam ter a vantagem de jogar mais vezes em casa nos Playoffs. É normal e natural. É sempre um trunfo jogar em casa, e acredito que somos mais fortes a jogar em casa, mas temos de estar preparados para estar ao mesmo nível a jogar fora ou em casa. Não podemos pensar que vamos ser campões só por jogarmos em casa, pois para sermos campeões também temos de ganhar jogos fora.

Este texto é um excerto de uma entrevista com Pedro Bastos publicada na edição de abril da Dragões, já disponível nas bancas. Pode aceder aqui à versão digital da revista oficial do FC Porto, que inclui conteúdos multimédia exclusivos.

Fonte: FC Porto