Exclusivo em OJOGO “Melhor marcador? Quero é ser campeão”

Avançado falou em exclusivo a O JOGO para dar as boas-vindas a Soares, sem se esquecer do 12.º jogador: os adeptos, diz, foram decisivos no clássico

“Os adeptos no clássico foram formidáveis, decisivos. Só temos que lhes agradecer pelo apoio”
André Silva Avançado do FC Porto

Triunfo frente ao Sporting foi “muito importante”, mas o avançado aponta já à deslocação a Guimarães, de onde quer sair com os três pontos. Pede para darem tempo a Rui Pedro para que continue a crescer

André Silva sabe que esta época é decisiva para o FC Porto. A conquista do título é objetivo que ninguém esconde e que está, agora, mais perto. No final de uma ação promocional da empresa que o patrocina, o avançado falou em exclusivo a O JOGO e considerou fundamental o apoio dado pelos adeptos no clássico, convocando-os para a difícil deslocação a Guimarães.

Que influência poderá ter a vitória no clássico neste campeonato?

—É sempre importante sair de um clássico com a vitória, mas ainda há muito campeonato pela frente e agora é preciso olhar para o próximo jogo com o V. Guimarães. Os nossos adeptos nesse jogo foram formidáveis, decisivos, e só temos que lhes agradecer pelo apoio que têm dado. Aproveito para os convidar a ir a Guimarães no sábado.

Outro jogo fundamental…

—Claro. Todos os jogos que disputamos são encarados da mesma forma. É mais um jogo importante. São três pontos que estão em causa e é por isso que vamos lutar.

A chegada de Soares é uma motivação suplementar para si?

—O Soares é um novo companheiro que chegou para nos ajudar nos nossos objetivos. É um bom jogador e espero que dê mais vitórias ao FC Porto, como deu no clássico com o Sporting.

Como lida com a responsabilidade de ter de marcar e carregar, em grande parte, a esperança dos adeptos na conquista do título?

—Não olho para isso como uma responsabilidade, mas como uma felicidade porque se depositam em mim tanta confiança é sinal de que estou a fazer um bom trabalho. A equipa toda está ao meu lado, somos um só, somos um coletivo forte. Temos todos essa responsabilidadeeva mostrabal harpara chegar aos grandes feitos.

Ser o melhor marcador do campeonato é algo que lhe passa frequentemente pela cabeça?

—Olho para o campeonato, para sermos campeões, e não tanto para ser o melhor marcador. Se acontecer e for campeão ficarei muito feliz. Mas,

acima de tudo, o que quero é que o FC Porto seja campeão.

Como avançado, como lidou com o período de ineficácia do FC Porto?

—Aconteceu e não estávamos satisfeitos com isso. Saímos por cima e isso é o mais difícil. Quando caímos no chão é preciso levantar, foi o que fizemos e é dessa forma que vamos encarar o resto da época.

Mas o André fez algum trabalho específico?

—Não. Trabalhamos desde o início da época da mesma forma. Se chegou a essa altura e aconteceu aquilo não foi por estarmos a trabalhar menos ou mal. Apenas não estava a sair como queríamos. Mas haveria de chegar a altura em que ia correr certo.

O André e o Rui Pedro são a prova de que é possível formar bons avançados em Portugal e fazer deles símbolos das grandes equipas?

—É preciso olhar para os jogadores portugueses e eles também terem vontade de chegar lá em cima. O Rui Pedro é um grande jogador e é preciso darem-lhe tempo, como me deram a mim, para os jogadores atingirem um nível mais alto. Na verdade, nunca seremos símbolos se não conseguirmos títulos coletivos.

“Sou viciado em vitórias”

Não está obcecado com os golos, quer é ser campeão

“Um avançado tem de ser frio, saber criar ocasiões e ter aquele ‘feeling’ de onde a bola vai cair num exato momento” André Silva Avançado do FC Porto

André Silva considera que um avançado deve ser frio e saber criar ocasiões. No Dragão desde os 15 anos, considera que ser Porto é ter garra e acreditar até ao último minuto

A chegada de André Silva à arena montada em pleno Norte Shopping levou à loucura centenas de adeptos portistas, sobretudo os do sexo feminino. Ao lado Pedro Teixeira, ator e conhecido portista, o avançado mostrou dotes no remate à baliza e respondeu a algumas questões feitas pelo ator. “Pode dizer-se que sou viciado em vitórias e, como as vitórias só se conseguem com golos, pode dizerse que também sou viciado em golos”, atirou logo a abrir antes de explicar o que considera ser essencial num ponta de lança. “Tem de ser frio, saber criar ocasiões e ter aquele ‘feeling’ de onde a bola vai cair num exato momento e, acima de tudo, marcar golos”, explicou, referindo que “de vez em quando” o treinador“metenos a finalizar eé com muito treino que os melhores jogadoresconseguem chegar lá em cima. Ainda tenho muito para aprender”, admitiu. Pelo FC Porto, André Silva já marcou 20 golos, mas não consegue destacar um em particular. “Penso sempre é no próximo…”, atirou. Em Guimarães vai fazer dois, contraatacou Pedro Teixeira… “Espero que sim.” O avançado chegou ao FC Porto com apenas 15 anos e, como tal, foi convidado a explicar o que significa para si a famosa frase “Somos Porto”. “Quem é deste clube sabe que é união, garra e acreditar que até ao último minuto as coisas podem mudar”, sublinhou o número 10 dos portistas. “Sei que é uma grande camisola, uma grande responsabilidade e tento dar o máximo desde que a uso para a dignificar”, acrescentou.

Quanto às expectativas para o resto da temporada, André Silva está moderadamente confiante na conquistado título nacional .“Temos de olhar jogo a jogo, ainda falta muito campeonato. As coisas já correram mal e soubemos dar a volta por cima. Temos de manter assim e acreditar que tudo vai correr bem e que poderemos ser felizes no final da temporada”, referiu.

Música como ritual e o sonho da Seleção

André Silva não é muito de superstições, mas admite ter um ritual antes dos jogos de que não abdica. “Ouço música no autocarro enquanto vamos para o estádio para acalmar e entro sempre com o pé direito no relvado, mas o que faz correr bem as coisas é o que está na nossa cabeça. É preciso acreditar”, atirou.

Os golos que tem marcado no Dragão já o levaram à Seleção Nacional, onde tem sido presença assídua nos últimos jogos. “A estreia foi um orgulho. Todos os jogadores querem chegar lá”, referiu a propósito da partida com Gibraltar de setembro último. Agora, espera manter-se nas escolhas de Fernando Santos. “Será um sonho estar na Taça das Confederações”, admitiu, considerando que Portugal tem “boas hipóteses ”, masque terá de “respeitar todos os adversários”.

Fonte: Ojogo