Já viste este telemovel igual ao Galaxy S8, Octacore, Camara 16Mp da Sony, Touch ID...etc por APENAS 100€? Visita o nosso link e não pagas portes de envio nem taxas alfandegárias!

CLICA AQUI

FC Porto um a um: Brahimi ia entrando atrasado

A FIGURA

Brahimi 8

No banco as soluções não rendem

Estranhou-se ver Brahimi no banco de suplentes, num jogo em que se adivinhava que o adversário ia jogar fechado, mas Nuno percebeu-o com pouco mais de meia hora de atraso, já com uma equipa amorfa e sem nervo em campo. Tudo aquilo que precisava estava no banco, valendo ao treinador do FC Porto pelo menos o discernimento para fazer a escolha certa. Brahimi entrou muito bem, dando largura ao ataque, capacidade de passe no último terço do terreno, cruzando e desequilibrando a defesa, dinamizando o ataque. O lance de que resulta a grande penalidade sobre André Silva já tinha sido desenhado pelo menos duas vezes antes pelo internacional argelino. O golo anulado tinha sido uma primeira tentativa cozinhada por Brahimi, que minutos depois foi apanhado em fora de jogo, depois de ter rompido a defesa com outro grande passe. Nem só de artistas se fazem os jogos, mas ajudam certamente mais quando lhes dão o palco para se expressarem e Brahimi só pedia mesmo isso para dar três pontos à equipa.

Casillas 6

Só a vinte minutos do final, foi chamado a trabalhar, correspondendo sem dificuldades. No lance do golo do Estoril nada podia fazer.

Maxi 6

Jogou virado para o ataque, combinando com Herrera, pela direita, ou envolver-se em lances de ataque na tentativa de encontrar soluções.

Felipe 6

Não deu espaço a Kléber, jogando na antecipação, ou cortando jogadas antes de elas se transformarem em problemas. Teve o golo ao alcance (56’), mas a bola saiu à figura de Moreira.

Marcano 6

Outra exibição ao nível do seu parceiro do eixo defensivo, acorrendo às dobras na esquerda, ou intercetando algumas tentativas do Estoril para criar perigo. Teve um grande corte (73’) no período de maior pressão do adversário.

Alex Telles 7

Voltou a ser mais extremo do que defesa, embora menos assertivo na hora de alvejar a baliza, como no livre (19’) à entrada da área, que foi parar aos pés de um adversário. Procurou espaços na frente e tentou servir os avançados, mas a defender não esteve pior como no corte sobre Kléber (53’). Grande cavalgada pelo corredor (79’), servindo Brahimi para criar perigo.

Danilo 7

Foi a imagem do inconformismo, não dando qualquer lance como perdido. Alvejou a baliza com um cabeceamento por cima da trave (2’). Envolveu-se no ataque, voltando a ter uma oportunidade de cabeça (68’).

Herrera 4

Lento, pouco preciso no passe e ainda menos eficaz a tirar os cruzamentos desejados para chegar ao golo. Quando procurou jogar por dentro, não foi mais feliz, acabando por não trazer soluções lá na frente.

Óliver 4

Deu-se mal com espaços apertados, não soltou a bola com a velocidade necessária, travando até o jogo, por vezes, contribuindo assim para esvaziar a intensidade que o treinador pretendia.

André André 4

Pezinhos de lã a mais, pouco poder de choque, vários passes errados e lances perdidos. Admira que se tenha mantido em campo os 90 minutos. Voltou a ser titular quatro meses depois, mas esteve longe de dar à equipa o que ela precisava.

Diogo Jota 3

Não era o único jogador em campo sem a garra que Nuno pretendia, mas acabou sacrificado para dar outra agressividade ao ataque.

André Silva 8

Manteve o sangue frio para converter a grande penalidade e fez a diferença no segundo golo, lançando Corona em contra-ataque na perfeição. A jogada começa com André a receber a bola no meio-campo, rodar e “apagar” um adversário, antes de meter a bola na frente do mexicano. Ia marcando (54’), num lance mal abordado por Moreira, tentando o chapéu, sem sucesso.

Rui Pedro 6

Contribuiu para pressionar a defesa adversária, à imagem do remate que disparou (80’) à entrada da área e que passou por cima da trave. Em cima dos 90 minutos, terá sofrido falta dentro da área, que o árbitro interpretou como uma tentativa para o enganar, exibindo-lhe o amarelo.

Corona 7

Apareceu em cima da hora, mas a tempo de fazer o necessário para “matar” o jogo, sentando João Afonso com uma finta brilhante, daquelas que definem os artistas.

 

Fonte: Ojogo