“Governos são cúmplices das mortes causadas pelas claques”, sublinha Francisco J. Marques

Diretor de comunicação do FC Porto mostrou emails que indiciam que Benfica paga a defesa a arguidos dos No Name Boys em julgamentos

A questão das claques voltou ao debate no programa Universo Porto, do Porto Canal, com Francisco J. Marques a ler um email, revelado na internet, onde são descritos dados pessoas do árbitro Olegário Benquerença. “Em 2010, Gonçalo Pina encaminha um email que tinha recebido dos No Name Boys: ‘Olegário Benquerença, rua tal, carro BMW, matricula 21 tal tal… É para haver bronca e da grossa. Este artista se levar carregamento sério, amocha. Esta corja pensa duas vezes antes de se meter connosco.’ Os No Name ameaçam, objetivamente, o árbitro Olegário Benquerença. Quem teve adeptos julgados e condenados por perseguição a árbitros é o Benfica, com Jorge Sousa e Pedro Proença, que foi agredido no Colombo”, lembra o diretor de comunicação dos dragões.

Francisco J. Marques aponta depois o dedo aos sucessivos governos e fala de indícios de que o Benfica paga a advogados para defenderem membros dos No Name Boys. “O apoio ilegal do Benfica às claques é das maiores vergonhas do desporto nacional deste século. É uma coisa que persiste, toda a gente tem conhecimento e atual governo e anteriores sempre foram cúmplices disso e acabam por ser cúmplices das mortes que já aconteceram causadas por claques. As únicas mortes foram causadas por claques do Benfica. Só isso devia exigir redobrada atenção. Temos de continuar a fazer denúncia até que o Governo ganhe vergonha. O governo português tem de agir. Tem de deixar de se sentar ao lado do Luís Filipe Vieira em jogos importantes para ter benefícios eleitorais e tem de agir. Tem de governar. Fazer cumprir a lei. Em 2010 estava em julgamento o caso dos No Name Boys, num caso de tráfico de droga e armas proibidas. Crime da pesada. Percebemos agora que aqui há um esquema que o Benfica utiliza para suportar custos da defesa de três arguidos dos No Name. A defesa recorre ao escritório de advogados de João Nabais, que manda as faturas para o CSA, Correia, Seara, Caldas e Associados, empresa de João Correia, advogado do Benfica que, por sua vez, envia para o Benfica. O Benfica paga ao escritório de advogados de João Correia que paga ao João Nabais. Era um esquema para não deixar evidente que Benfica estava a suportar a defesa dos No Name Boys. O Benfica estava a pagar a defesa destes arguidos.”

O dirigente lembra depois a morte do adepto do Sporting, em abril deste ano, e fala do advogado que o representa. “Levanto a questão: todos ficámos surpreendidos com a trágica morte do adepto do Sporting, em abril. O adepto do Benfica entregou-se às autoridades e o advogado que o acompanhava era de prestígio, caríssimo. Pergunto se esse advogado é pago pelo Benfica. Se é, é mais uma vergonha para o Benfica. O Benfica não faz isso às claras. Se o Benfica não soubesse que era uma vergonha, não fazia isto assim”, remata.

Fonte: FC Porto