“Há algumas pessoas importantes a prestar vassalagem ao Benfica”

A “nova vaga” de e-mails e o vídeoárbitro foram os temas quentes da edição desta terça-feira do Universo Porto da Bancada

 

A edição desta terça-feira do programa Universo Porto da Bancada, cujo painel foi constituído por Francisco J. Marques, Pedro Bragança e excecionalmente por Rita Moreira, voltou a trazer para a ribalta alguns dos temas quentes do futebol português, cujo último capítulo diz respeito à divulgação da caixa de correio eletrónico de Pedro Guerra e Paulo Gonçalves. Mas houve muito mais. O painel falou em temas como o videoárbitro, chegando à conclusão que tem havido uma má utilização desta ferramenta, das transmissões televisivas da BTV, bem como das “estranhas” análises de Duarte Gomes às arbitragens. Por fim, e porque já são temas habituais, houve ainda tempo para uma resposta ao comentador Pedro Guerra e deixar uma pergunta a José Manuel Meirim.

A divulgação dos novos e-mails
“Não temos [FC Porto] posição nenhuma em relação e estas divulgações. O FC Porto não tem nada a ver com isso. Esta informação que agora circula não tem a ver connosco. Independentemente disso, importa deixar de olhar de como os e-mails foram ou não divulgados e a começar a olhar para o conteúdo. Há ou não há alguma coisa que adultere a verdade desportiva? Há. Um clube recebe os números de telefone dos árbitros para quê? Para desejar boas festas aos árbitros em abril? Há uma parte do país que não quer aceitar que isto está a acontecer. Alguns adeptos entende-se, o que já não de pode dizer de alguns órgãos de comunicação social. Isto é o maior escândalo do futebol português e é inexplicável que entidades como a APAF não tenham tido nem uma palavra em defesa dos árbitros. E por isso, tudo isto acontece com a cumplicidade da APAF…e todos nós nos lembramos do pedido de bilhetes do presidente da APAF ao Benfica. Tem-se feito do Pedro Guerra uma personagem menos importante, mas não é. Obviamente que a cabeça disto tudo tem um nome: Luís Filipe Vieira. O presidente do Benfica é o líder, mas o Pedro Guerra não é um simples comentador. Está claro que há um esquema, que não é regular, para beneficiar o Benfica. Por mais que se tente impedir, é impossível travar isto e pela nossa parte iremos continuar sempre pela defesa do interesse público. Há um sem número de pessoas importantes neste país a prestar vassalagem ao Benfica e que se vendem por meia-dúzia de convites.”

A má utilização da ferramenta videoárbitro
“O VAR é uma ferramenta útil, mas que que infelizmente em Portugal está a ser mal aplicada. Infelizmente já nos custou quatro pontos [ao FC Porto]. Estou a falar de duas grandes penalidades muito claras que não é admissível que passem ao vídeo árbitro. Para que nos serve ter esta ferramenta se ela não atua quando tem que atuar? Assim este videoárbitro não serve. E depois parece que os árbitros têm problemas em ir ver os lances. Devem-se tornar publicas as comunicações porque quem não deve não teme. Hoje em dia é inaceitável que o que todos vemos não seja analisado. Estamos a falar de lances capitais. É mau para todos os atores do futebol. Há um caminho: aplicar o VAR como deve ser. Sem olhar a clubes, aplicar as leis.”

A resposta à questão de Pedro Guerra sobre Fontelas Gomes
“O atual presidente do Conselho de arbitragem, enquanto árbitro, esteve para subir duas vezes à primeira categoria, mas foi impedido porque na primeira teve uma classificação superior a 22 (que era o limite) e a verdade é que veio a ter 22. Na segunda vez ficou em quinto lugar quando apenas quatro árbitros poderiam subir. Nesse ano foram promovidos o Hélder Malheiro, o Rui Silva, o Jorge Ferreira e o Manuel Mota. Quando ouvimos isto temos a resposta para o Pedro Guerra.”

As análises às arbitragens de Duarte Gomes
“O Duarte Gomes faz uma análise técnica especializada omitindo metade da ação, no caso do lance do Aboubakar. É difícil arranjar uma argumentação que suporte o que ele escreveu no jornal Abola. Mas o mais desagradável é comparar os textos de análise dos jogos do Benfica e do FC Porto. Ele deve ser capaz de ver os lances da mesma forma, mas não o faz. Essa diferença é muito desagradável. Como é que o ex-árbitro Duarte Gomes sabe se os jogadores têm ou não malicia? Como sabe que há ou não intenção? Este tipo de argumentação tem o objetivo de ser simpática para um clube.”

As obstruções de José Manuel Meirim
“O FC Porto foi condenado por causa do arremesso de petardos em jogos fora do Estádio do Dragão. O clube não se conformou com essa condenação e recorreu da decisão do Conselho de Disciplina (CD) para o Tribunal Arbitral do Desporto. Aí ganhou a ação. O Conselho de Disciplina não se contentou com essa decisão e recorreu para o Tribunal Central Administrativo do sul, que voltou a dar razão ao FC Porto. O que fez o CD? Não tornou publica a decisão. O acórdão que dá razão ao FC Porto não é público. Não é conhecido. No site da Federação continuam o acórdão da condenação e não estão os das decisões favoráveis ao FC Porto. O que é que o CD tem a esconder quando perde? Isto é normal? O quê que o doutor Meirim quer esconder? Expliquem a razão para o documento não estar disponível

As transmissões adulteradas da BTV
“O futebol português parece viver capturado aos interesses do Benfica. Todos já perceberam que há manipulação de perceção de adeptos e árbitros que não é leal para com o jogo. Não é aceitável. Vamos ver se há alguém, além do FC Porto, que seja capaz de dizer basta. Há muitos casos para trás e é preciso agir…mas há sempre um silêncio quando se pode beliscar os interesses do Benfica.”

Fonte: FC Porto