Kelvin com o número 92? Brasileiro desvenda o mistério

Em entrevista ao Lance, no Brasil, o avançado cedido pelo FC Porto ao Vasco falou sobre as épocas passadas em Portugal.

Kelvin viveu bons momentos ao serviço do FC Porto, com o expoente máximo traduzido no golo ao Benfica, que valeu o título nacional de 2012/13 aos dragões. Mas, em entrevista ao Lance, o avançado também falou sobre fases menos prolíficas de azul e branco.

“Não estou desapontado. Esperava ter mais oportunidades. (…) A relação com a ‘torcida’ era e é muito boa até hoje. Sabem do meu potencial. Até hoje, quando entro em campo sou ovacionado para seguir com o meu trabalho. Sei que foi um momento histórico e nunca vou esquecer”, referiu Kelvin. Sobre a possibilidade de, um dia, vir a usar o número 92 na camisola, em referência ao golo marcado ao Benfica na penúltima jornada da I Liga 2012/13, o brasileiro demarca-se de qualquer polémica:

“Não tem nada a ver com isso. É um momento dos adeptos, seria interessante para eles, mas não para mim. Foi um momento que nunca vou esquecer, mas não teria sentido usar a camisola 92, seria uma provocação. Não fazia sentido”, afirmou Kelvin.

Sobre um eventual regresso ao FC Porto, o jogador diz-se focado no presente, ao serviço do Vasco da Gama:

“Sempre tive vontade de dar sequência ao trabalho no FC Porto. Infelizmente não aconteceu. Na época em que fiz o golo [frente ao Benfica] isso acontecia, tinha alguns minutos e mostrava o meu potencial. Tenho contrato até 2019 e, se acontecer, fico feliz”, concluiu.

FONTE/ O JOGO