Kelvin e a saída do FC Porto: «Não entendi nada»

Kelvin já vai no seu terceiro empréstimo no FC Porto. O herói do último título dos dragões, em 2012/13, foi cedido ao São Paulo há dois anos e, desde então, representou também Palmeiras e agora Vasco da Gama, este último depois de um curto regresso a Portugal, no mês passado. Convidado a fazer uma retrospetiva do seu trajeto, o avançado admite que a primeira saída lhe causou confusão.

“Esperava apenas ter mais oportunidades. Nesse ano fiz o golo [do título], uma boa pré-temporada como titular e, de repente, o treinador que acabara de chegar [Paulo Fonseca] chamou-me e disse-me que não iria utilizar-me. Aconselhou-me a manter a minha forma no FC Porto B. Foi um momento em que eu não entendi nada, pedi para sair e o clube libertou-me”, confessou Kelvin, em entrevista ao ‘Lance’.

Apesar de tudo, o brasileiro manteve-se no clube em 2013/14, sob o comando de Paulo Fonseca, e ainda metade de 2014/15, então com Julen Lopetegui, saindo no mercado de janeiro para o Palmeiras.

“Quando ele [Lopetegui] entrou, eu já tinha pedido para embora sair. Avaliou-me, fiz a pré-temporada e fiquei seis meses com ele lá. Mas sempre foi sincero comigo e falei-lhe da minha situação. [Lopetegui] não queria que eu viesse para o Brasil, queria que continuasse na Europa. Sempre respeitei todo a gente e soube lidar com o não. Ele [Pinto da Costa] nunca comentou comigo. Sempre tive uma boa relação com ele mas nunca discuti com ele os factos ocorridos”, relatou.

FONTE/ RECORD