Layún dá mais poder de fogo

O mexicano voltou aos treinos, o que permite a Nuno recuperar um dos melhores municiadores do ataque

Com quatro assistências para golo esta época, o mexicano só é superado pelas seis de Otávio. Nuno Espírito Santo aborda receção ao Braga na máxima força para recuperar o terceiro lugar

Onze dias depois de ter sofrido uma tendinite no adutor da coxa esquerda, Layún voltou a treinar e a receção ao Braga poderá marcar o regresso do mexicano às opções de Nuno Espírito Santo. Numa altura em que o FC Porto atravessa uma seca de golos – não marca desde o clássico com o Benfica, no passado dia 6 de novembro –, o treinador recupera um dos jogadores com maior peso ofensivo no coletivo, capaz de acrescentar assistências e golos, ou seja, mais impacto no último terço do terreno. É que mesmo tratando-se de um defesa, Layún soma quatro assistências. Melhor do que o mexicano a alimentar o ataque do FC Porto só mesmo Otávio, com seis passes decisivos.

Depois de ter terminado a temporada passada como um dos reis das assistências do campeonato português, com 15 passes para golo – tantos quantos os de Gaitán, do Benfica –, a lesão que o afastou da viagem a Copenhaga e dos dois jogos com o Belenenses não lhe retirou protagonismo nesse capítulo. Quando se trata de municiaroataque,osnúmeros do mexicano são esclarecedores, já que das quatro assistências que conta por esta altura, três surgiram na sequência de cruzamentos e apenas uma na cobrança de um livre. Estas assistências ganham mais importância sabendo-se que Layúnneménecessariamente titular esta época, apesar de somar um total de 1134 minutos de utilização, conseguidos também à custa da lesão de Maxi em Roma, que afastou o uruguaiopraticamentedurante cinco semanas entre final de agosto e início de outubro. Mas não têm sido só as assistências que têm permitido a Layún brilhar, porque o defesa tambémjámarcouduas vezes. O primeiro golo surgiu em Roma, no playoff de apuramento para a fase de grupos da Liga dos Campeões, e o segundo em Brugge, permitindo ao FC Porto empatar o jogo, antes de André Silva apontar o golo da vitória já nos descontos.

Contas feitas, Nuno recupera um argumento que se tem revelado essencial e que pode ajudar a desbloquear o caminho dos golos e derrubar uma verdadeira barreira psicológica para os azuis e brancos, ao cabo de cinco jogos consecutivos a empatar. Mas mais ainda, Layún regressa para um jogo contra um Braga que ultrapassou os azuis e brancos na tabela classificativa na jornada anterior e que o treinador do FC Porto vai procurar aproveitar para tentar recuperar o terceiro lugar e continuar a manter o V. Guimarães à distância.

ASSISTÊNCIAS

4

Estoril, Sporting, V. Guimarães e Nacional foram os jogos em que Layún fez a diferença com assistências para golo

Fez horas extra para regressar

Nos últimos dias, Layún repartiu os trabalhos de recuperação entre o ginásio e os relvados do Olival, sem folgas, de modo a recuperar da tendinite no adutor da coxa esquerda o mais depressa possível. Sábado e terça-feira, por exemplo, enquanto a equipa disputava os dois duelos com o Belenenses, o primeiro a contar para o campeonato e o segundo para a Taça da Liga, o mexicano não levantou o pé do acelerador e ontem acabou mesmo por marcar presença no treino aberto do FC Porto. Layún participou sem restrições na fase de aquecimento, tempo aberto aos jornalistas, e será uma carta para jogar contra o Braga.

DADOS

GOLOS

2 Roma e Brugge são as duas vítimas de Layún esta temporada

JOGOS

17 O mexicano soma 17 jogos esta época, 11 dos quais como titular, para um total de 1134 minutos de jogo na equipa orientada por Nuno Espírito Santo

ASSISTÊNCIAS

15 Na época passada, Layún já se tinha revelado uma peça essencial da equipa ao fazer 15 assistências para golo em jogos do campeonato

CHAMPIONS

6 Foi sempre opção de Nuno na Champions, falhando apenas a deslocação a Copenhaga, por lesão

FONTE/ OJOGO