Mário Figueiredo ordenou “limpeza geral” na Liga quando cessou funções 

Hoje coloquei online um post sobre a troca de emails entre Mário Figueiredo e os responsáveis do Benfica (Paulo Gonçalves e Luís Filipe Vieira). Podem ler o conteúdo dos emails e também outras curiosidades relativas a estes senhores clicando (aqui). É importante a leitura prévia desse post. 
Limpeza total


Isto é tão grave que merece que a notícia seja transcrita:
“O presidente cessante mandou imprimir uma quantidade que nos dizem ser “impressionante” de documentos, ao mesmo tempo que deu ordens para os técnicos de informática limparem dos seus computadores uma série de ficheiros.
Segundo o que Record conseguiu apurar, Mário Figueiredo foi mesmo ao ponto de perguntar com insistência aos técnicos de informática se não ficava de pé qualquer possibilidade de se recuperar os ficheiros apagados. Ao mesmo tempo, o ex-presidente da Liga encaixotou muita documentação, que terá levado para casa, sem que tivesse justificado de alguma forma essa acção. 
O que levou Mário Figueiredo a ter este tipo de procedimento é algo que escapou a quem assistiu a este afâ que mobilizou muitos funcionários da Liga, nos dias finais de um presidente que foi ao ponto de fechar a sede da Liga aos clubes, chamando a polícia, quando os associados pretendiam ali realizar uma reunião que visava a sua destituição. Mário Figueiredo – que tentámos contactar, sem sucesso – tinha um vencimento líquido na ordem dos 12.500€, mais cartão de crédito sem limite que se conheça, carro e motorista. Na Liga de clubes ficou marcada uma viagem de duas semanas que fez a Nova Iorque na companhia da sua assessora e que custou à Liga cerca de 14 mil euros, sem que houvesse notícia de qualquer acontecimento que justificasse a presença do presidente naquela cidade.”
Por que será que Mário Figueiredo ordenou esta limpeza total? Está com medo do quê? Perante isto, só posso concluir que a quantidade de lixo que tem vindo a ser varrido para debaixo do tapete terá uma quantidade industrial. Os emails agora conhecidos serão apenas a ponta de um iceberg gigante. As autoridades nacionais têm de tomar conta deste assunto com urgência. 
É a podridão e o degredo total. Mas ainda há alguém que acredite no futebol português?