Maxi e o festejo na Luz: “O que os portistas querem é o que eu quero!”

O uruguaio festejou o golo na Luz, gritando para os adeptos do FC Porto que se sentia como um deles

No Bessa foi expulso e viu Corona sofrer uma entrada duríssima: É incrível… Se o árbitro entendeu que me atirei para o chão, que simulei, bem, essa é a decisão do árbitro. Agora, dar-me um amarelo a mim por simulação e outro amarelo a alguém que com uma falta que tira um companheiro de campo, pois lesionou-o, são critérios que não entendemos muito bem. Uma jogada com aquela agressividade não deve passar assim daquela forma… De repente uma simulação, em que não magoaste ninguém e em que até sofreste contacto, é igual àquele tipo de entradas… Mas pronto, os árbitros também erram, se fazem de propósito ou não… Eles tentam corrigir e ser o mais justos possível seguramente.

Há um empate com o V. Setúbal e depois o regresso para ir à Luz e marcar o golo: O grande motivo do festejo é pelo facto de estarmos a perder e termos conseguido empatar, que nos mantém na luta. Ainda faltava algum tempo e estávamos a lutar pela vitória… Festejei assim porque o senti assim, ao ver aqueles adeptos a acreditarem em nós, gritei para eles, para dizer-lhes que sou mais um deles e que quero o mesmo que eles, ser campeão. Foi muito bonito, foi uma sensação linda. É sempre lindo fazer um golo, mas claro que contra o Benfica foi diferente.

A par da importância do golo sentiu-se portista? Sim, ver aquela gente toda a cantar a partida toda… Ouvia-se mais a eles do que aos adeptos do Benfica. É mostrar que somos como eles, que sou igual a eles, que dou tudo para ganhar, que o que eles querem é o que eu quero.

Os empates com Braga e Feirense. O que vai na cabeça dos jogadores? Tínhamos a oportunidade de nos aproximar e, se tivéssemos vencido, ficaríamos a um ponto. Não dependeríamos de nós, mas… Temos de corrigir coisas, talvez não tenhamos feito o que trabalhamos durante a semana. O que quero dizer aos adeptos é que continuem a acompanhar-nos, que continuem a confiar em nós como até agora, a equipa vai dar mostras de revolta, de experiência e lutar pelo título. Vamos dar a volta a esta página. Esperemos que o adversário perca e nós não podemos dar mais chances, vencendo as quatro finais. Ainda não acabou, até ao final nada está definido. Nós temos de vencer e esperar.

Fonte: FC Porto