“Meias” calçadas com classe

FC Porto voltou a vencer a Ovarense (97-68) e vai discutir um lugar na final da Liga com o Vitória ou o ​Galitos

 

A tradição voltou a cumprir-se. O quinto jogo oficial desta temporada entre FC Porto e Ovarense teve o mesmo fim que todos os outros quatro. Na noite desta sexta-feira, na Arena de Ovar, e à semelhança como nos dois outros jogos destes quartos de final da Liga, os atuais campeões nacionais voltaram a vencer por uma margem esclarecedora: 29 pontos de diferença (98-67) e vão discutir um lugar na final com o vencedor da eliminatória entre o Vitória de Guimarães e o Galitos que neste momento se encontra empatada, com uma vitória para cada lado.

O FC Porto ainda tinha mais duas hipóteses para resolver estes “quartos”, disputados à melhor de cinco jogos, mas quis resolver hoje a questão. E quis resolve-la depressa, como se viu pela forma determinada e autoritária como entrou na Arena de Ovar. Logo no início, impôs um parcial de 11-0 que deixou o adversário em choque, que demorou a encontrar-se no jogo e a encontrar formas de travar os lançadores azuis e brancos. Não surpreendia, portanto que, à entrada para o segundo período, já tivesse uma vantagem de 15 pontos (13-28) com que foi mantendo à distância a Ovarense até ao intervalo.

Os Dragões formavam um verdadeiro muro na defesa que que o adversário revelava muitas dificuldades em ultrapassar e ao qual permitiu apenas 27 ponto. O ataque, é verdade, não foi tão produtivo, mas isso não impediu que ao intervalo as duas equipas estivessem separadas por 19 pontos (27-46).

Recuperar de 19 pontos parecia uma tarefa demasiado árdua para a equipa vareira. O descanso fez-lhe bem, porque trouxe para o segundo tempo uma estratégia diferente, que teve alguns reflexos no desempenho, sobretudo ofensivo. Foi capaz de marcar tantos pontos no terceiro período como os que marcou até ao intervalo, mas defensivamente continuou a ter dificuldades em parar o ataque demasiado versátil e eficaz do FC Porto.

À entrada para o último período, as duas equipas mantinham-se demasiado longe no marcador, já na casa das duas dezenas (75-55), e de lá nunca mais saiu, aliás, quase que chegou às três dezenas, porque a diferença e a crença em campo já era demasiado grande entre dois históricos do basquetebol português.

Aos Dragões voltou a valer a força do coletivo, mas há que destacar, a nível individual, as exibições de Jeff Xavier (18 pontos e dois ressaltos), de Brad Tinsley (16 pontos, 1 ressalto e seis assistências), de Sasa Borovnjak (15 pontos e seis ressaltos), e ainda de Nick Washburn (14 pontos, cinco ressaltos).

FICHA DE JOGO

OVARENSE-FC PORTO, 68-97
Liga Portuguesa de Basquetebol, Playoffs, Quartos de final, Jogo 3
12 de maio de 2017
Arena de Ovar

Árbitros: Fernando Rocha, Pedro Maia e Diogo Morais

OVARENSE: Nick Novak (19), Kyle Anderson (13), Pedro Pinto, João Fernandes (10) e Bryce Douvier (12)
Jogaram ainda: Jaime Silva (3), André Pinto (3), Fernando Neves (2), João Freitas, Emanuel Sá (2), Daniel Caluico (4) e Nuno Morais
Treinador: Nuno Manarte

FC PORTO: Brad Tinsley (16), Jeff Xavier (18), José Silva (10), Nick Washburn (14) e Miguel Queiroz (8)
Jogaram ainda: Pedro Bastos (3), Sasa Borovnjak (15), André Bessa (2), João Gallina (2), Ferrán Ventura (2), João Grosso (5) e Miguel Miranda (2)
Treinador: Moncho López

Ao intervalo: 27-46
Parciais: 13-28, 14-18, 27-28, 13-23

Fonte: FC Porto