“Mourinho apontou para mim e disse: ‘Não te quero cá’

“Mourinho apontou para mim e disse: ‘Em janeiro vais embora. Não te quero cá'”

Costinha revela, em entrevista ao Porto Canal, um episódio no balneário do FC Porto a dias da deslocação ao Estádio do Real Madrid

A época 2003/04 foi história com o FC Porto a vencer o campeonato e a Liga dos Campeões. Costinha foi uma das peças chave da equipa, mas lembra agora que chegou a estar com um pé fora da equipa. Ou, pelo menos, julgava ele. “Fiz anos a 1 de dezembro e convidei todos os jogadores do FC Porto para jantar. Isto numa 3ª ou 4ª feira e jogávamos com o Marítimo no domingo. No final do jantar disse aos meus colegas de equipa que ia beber um copo com amigos de infância que vinham de Lisboa. E assumi que ia, mas não convidei ninguém dos meus colegas. Não queria ser chamado à responsabilidade por algum deles ser apanhado na noite. No FC Porto sabia-se de tudo. Não valia a pena esconder-se. Acabámos por ir todos. No domingo acabámos por empatar com o Marítimo, a dois golos.”

Costinha lembra que o pior veio depois, no regresso aos treinos.”Quando cheguei ao Olival vi logo o carro do presidente. Era porque alguma coisa estava mal. O Mourinho entra no balneário, e ele nunca entrava no balneário dos jogadores, começa a falar e aponta para mim. “Tu és o responsável pelo empate no Marítimo. Levaste os jogadores para a noite no teu aniversário. Se não ganharmos o campeonato e a Liga dos Campeões a culpa é tua. Já disse ao presidente, em janeiro vais embora. Não te quero cá.” Aquilo foi tão duro que despi-me para não treinar. Mas depois lá acabei por treinar. E no relvado, durante o treino, falou-me como se nada fosse”, revela o antigo médio em entrevista ao Porto Canal.

Costinha, como se sabe, não saiu do FC Porto em janeiro e acabou mesmo por ser decisivo na caminhada do clube até à final. O médio explica agora o episódio visto de outra maneira. “Ele usava a personalidade dos jogadores mais fortes. Sabia que eu ia treinar bem, ia jogar bem apesar daquilo. Que podia dizer-me aquilo. Os outros ao verem o que me fez… Foi a mensagem que ele quis passar e usou alguém forte. Resultou e correu tudo bem.”

Fonte: Ojogo