“Move-nos uma enorme vontade de ganhar e de crescer”

Nuno Espírito Santo quer “continuar a somar” frente ao Desportivo de Chaves (segunda-feira, 20h00)

 

O FC Porto chega ao jogo com o Desportivo de Chaves numa série de quatro triunfos consecutivos, um claro sinal de que o momento da equipa é bem diferente, para melhor. Na conferência de imprensa de antevisão do desafio com os flavienses, marcado para esta segunda-feira (20h00, SportTV), no Estádio do Dragão, a contar para a 14.ª jornada da Liga NOS, Nuno Espírito Santo deixou elogios ao adversário que eliminou os portistas da Taça de Portugal, negando qualquer tipo de sentimento de vingança: “Há, isso sim, um sentimento de ganhar, de crescer e de melhorar.”

Continuar a somar perante os adeptos
“É um adversário tradicionalmente difícil, como são todos. O Desportivo de Chaves tem uma boa equipa está a fazer um bom campeonato. É mais um jogo no Dragão, muito importante para nós, pois jogamos perante os nossos adeptos. Queremos conquistar os três pontos e continuar a somar.”

No Dragão já sem o treinador Jorge Simão
“Isso é algo que não nos cria dúvida nenhuma, pois conhecemos bem o adversário e achamos que a ideia de jogo não vai mudar até amanhã. Temos que ser nós próprios, impor a nossa ideia e ganhar. O Desportivo de Chaves é uma equipa organizada e forte no contra-ataque, mas temos que estar preparados. Temos de encontrar os caminhos para desbloquear essa organização e procurar movimentações e combinações que nos permitam chegar ao golo e à vitória.”

Vingança pela Taça de Portugal?
“Não é um sentimento de vingança que nos move, até porque esse jogo já faz parte do passado e o passado não podemos mudar. Há, isso sim, um sentimento de ganhar, de crescer e de melhorar.”

Desequilibrar a organização do adversário
“Cada vez mais os nossos adversários organizam-se melhor e juntam mais as linhas, pois a dinâmica ofensiva do FC Porto é boa. Acredito que vamos encontrar soluções para contrariar essa organização e sinto os jogadores com confiança e determinação para fazer bem as coisas, entre as quais o golo, que é essencial.”

O processo evolutivo da equipa
“Desde o primeiro dia que o nosso processo é de evolução. O crescimento da equipa é muito importante. Os jogadores souberam sair de uma situação difícil e dar um passo em frente naquilo que é a dinâmica da equipa. Souberam acreditar, persistir e nunca desistir. As coisas agora surgem mais naturalmente e as vitórias refletem isso. Este crescimento tem de ser sustentado no tempo e nas vitórias. Ainda não estamos no lugar que queremos, mas não faz sentido nenhum falar de pressão.”

O golo de Rui Pedro frente ao Sporting de Braga
“Foi um momento importante num jogo muito difícil, em que criámos muitas oportunidades que não conseguimos concretizar. Não creio que tenha sido o momento decisivo, pois o futebol tem muitos momentos. Temos é de ser persistentes na ideia e trabalhá-la, isso é muito importante. Cada dia é um dia importante no nosso crescimento. O jogo de amanhã também será importante nesse crescimento. Amanhã temos uma nova oportunidade para sermos cada vez mais equipa. Move-nos uma enorme vontade de ganhar e de crescer.”

Brahimi e Corona
“O Brahimi e o Corona têm trabalhado muito bem, mas uma equipa não se faz de 11 jogadores e se de um plantel. Todos têm que acreditar na ideia e trabalhar nela. Não são mais nem menos do que eram dantes.”

Danilo Pereira e Layún
“O Danilo é mais um jogador que está num bom momento. Trabalha bem e dentro do campo é muito importante para a equipa. É fundamental para a equipa e faz um trabalho que muitas vezes passa despercebido. Quanto ao Layún, é um jogador que está permanentemente na equipa e nas convocatórias, mas não é recuperável para este jogo. Será opção assim que estiver disponível. Temos tido muitos jogos, momentos difíceis e o descanso será bom para todos. Voltaremos mais fortes e unidos para conseguir o que queremos.”

ADN construído diariamente
“Temos um plantel com muita juventude e o ADN constrói-se no dia-a-dia. Todos temos a capacidade de saber a grandeza do clube que representamos e a obrigação de quebrar um ciclo de três anos sem vencer. O compromisso, a cooperação e a comunicação serão essenciais para isso. Ter ADN de campeão é todos os dias ter vontade de ganhar e de melhorar.”

Fonte: FC Porto