Nove camisolas quase tão bonitas como a nossa

Elaborámos um “top ten” dos mais belos equipamentos do mundo e a escolha do n.º 1 foi consensual

 

Quem não quer ser lobo, não lhe veste a pele, diz o ditado. Nós somos Dragões e vestimos-lhe a pele com muito orgulho. Por isso, aqui só entram o azul e o branco, as cores do coração. E às riscas, como manda a tradição. Foram estes os requisitos fundamentais para irmos aos quatro cantos da Europa, darmos ainda um salto ao continente americano, e elegermos os dez mais bonitos equipamentos desta época. Atenção, esta não é uma escolha imparcial.

1 – FC Porto
Inspirada nas tradicionais listas verticais do equipamento usado na final da Taça dos Campeões Europeus de 1987 e no tom degradé de azul dos azulejos que decoram o interior do Estádio do Dragão, é a única camisola de um clube português a integrar a lista das 19 mais belas elaborada pela revista britânica FourFourTwo nesta temporada.


2 – Real Sociedad
Não é muito diferente daquele que tem sido utilizado ao longo dos últimos anos pela equipa de San Sebastián, mantendo a simplicidade e o txuri-urdin (branco e azul, em basco) tradicional às riscas que sempre caracterizaram as camisolas do clube, que ocupa a sexta posição na Liga espanhola.


3 –
IFK Gotemburgo
Os blavitt (azul e branco em sueco) não vivem a sua melhor fase, depois dos gloriosos anos 80 e 90 do século XX em que até se cruzaram com o FC Porto na Liga dos Campeões. Mas continuam a ser o clube mais bem-sucedido da Suécia e aquele que, sem dúvida, melhor se veste.

4 – Honduras
É um dos equipamentos alternativos que o 86.º classificado do ranking da FIFA envergará nas eliminatórias da CONCACAF para o Mundial da Rússia 2018. Os três têm o azul como cor predominante, mas este deveria ser, quanto a nós, o principal.


5 – Hertha Berlim

A FourFourTwo considerou-o um dos mais feios desta época por combinar dois tons de azul, nas riscas e nas mangas da camisola; aos nossos olhos todo o azul é bonito, pelo que o jersey do único representante de Berlim na Bundesliga merece figurar nesta galeria.

6 – Lech Poznan
Esta época a equipa mais bonita da Polónia optou por fazer uma revolução na camisola: o azul que na temporada passada a cobria na totalidade deu lugar às listas azuis e brancas, com um gradiente em azul na parte superior que lhe confere um toque moderno e inovador.


7 – Argentina
A camisola usada por Messi e companhia na Copa América Centenário faz jus à história e tradição da seleção albiceleste. O modelo não traz nenhuma novidade extraordinária, mantendo o casamento perfeito entre as listas brancas e azul-celeste da bandeira.


8 – Heerenveen
Os sete corações vermelhos que vai buscar à bandeira da província da Frísia, da qual a cidade de Heerenveen é capital, tornam esta camisola a mais exótica desta galeria. O nosso coração é azul e branco, por isso os quartos classificados da Liga holandesa aparecem nos últimos lugares da lista.


9 – Monterrey
O clube mexicano que projetou Jesús Corona (na foto) para o futebol euruopeu foi ao equipamento dos anos 90 buscar as riscas azuis-escuras e brancas como se fossem pintadas com um pincel. A frase Hagámoslo Bien (“façamo-lo bem”, em português) na parte central é completada no colarinho com a legenda En la vida y en la cancha (“na vida e no campo”).


10 – Queens Park Rangers
Combina o design das duas camisolas mais vendidas dos hoops na década de 80. O pormenor vermelho no colarinho e no acabamento das mangas atiram a camisola dos londrinos para o fim desta lista – valem-lhes as riscas azuis-escuras e brancas apesar de serem horizontais.

FONTE/ FCPORTO