Nuno: “Encaramos o jogo como uma final”

Treinador garantiu a equipa focada e preparada para ir à Madeira conquistar três pontos no jogo frente ao Marítimo

 

A 31.ª e antepenúltima jornada leva o FC Porto até à ilha da Madeira para defrontar o Marítimo. É, por tradição, uma deslocação difícil e que chega numa fase decisiva da temporada, pelo que é encarada por Nuno Espírito Santo com uma final em que a equipa terá que estar focada, concentrada e competir no máximo das suas forças, apesar de não poder contar com os contributos de Danilo, ainda lesionado, e de Maxi, a cumprir um jogo de suspensão.

Na conferência de imprensa de antevisão do encontro de sábado à noite (20h30, SportTV1), o treinador contestou os castigos aplicados ao internacional uruguaio e ainda a Brahimi, assim como a desigualdade de critérios disciplinares de que os azuis e brancos têm sido vítimas ao longo desta época.​​

Focados e concentrados
“É tradicionalmente um jogo difícil, ao longo das épocas os resultados têm demonstrado que é uma deslocação complicada. Chegamos a uma fase decisiva no campeonato, pelo que encaramos este jogo como uma final. Sendo assim, teremos que estar muito focados, muito concentrados e competir no máximo das nossas forças.”

Agressividade e intensidade
“O Marítimo é uma boa equipa, agressiva e temos que estar preparados para essa agressividade. É fundamental competir com os mesmos níveis de intensidade e de agressividade para ganhar duelos, e fazer com que cada bola ganha por nós nos permita ganhar mais um metro e seja mais uma aproximação ao nosso principal objetivo que é a vitória. Tivemos o cuidado de preparar bem a semana e os jogadores estão totalmente focados e mentalizados para o jogo de sábado.”

Colocar pressão em Vila do Conde
“Só pensamos no FC Porto e na conquista dos três pontos, sabendo que, com isso, provocamos alterações na classificação. Ganhando o nosso jogo, logicamente que o Benfica vai começar o jogo com o Rio Ave sabendo que é segundo. É essa a nossa grande motivação.”

Rendimento constante
“Vamos tentar dar uma melhor resposta e que os nossos 90 minutos sejam mais uniformes e lineares para que o nosso rendimento se mantenha durante todo o jogo. Isso é que é fundamental e estaremos nesse processo continuamente. Noutros momentos da época já tivemos boas entradas, o que não tem vindo a acontecer ultimamente, e vamos procurar mudar isso no próximo jogo.”

Castigos injustos a Brahimi e Maxi
“Podemos contar com o Brahimi após um castigo injusto e exagerado – é mais uma opção para nós. Em relação ao castigo aplicado ao Maxi, considero que no lance em que lhe foi exibido o cartão vermelho não teve qualquer intenção de magoar ou prejudicar o jogador do Chaves. Já houve lances iguais em que fomos prejudicados e principalmente penalizados com a ausência de jogadores que foram vítimas de agressões e que não foram depois penalizadas. Isso condicionou os jogadores do FC Porto e as opções técnicas para o jogo seguinte. Essas situações têm de ser bem analisadas e as decisões têm de ser justas.”

Danilo de fora das opções
“O Danilo sofreu uma agressão que o condicionou, está em processo de recuperação e não pode ajudar a equipa neste jogo. Todos sabemos a sua importância para a equipa, tanto dentro do campo como fora dele, mas também sabemos que as respostas dadas pelos jogadores que ocuparam a mesma posição foram muito boas e dão-nos garantias totais e confiança máxima para este jogo. É uma fase decisiva para todos, cada equipa tem os seus objetivos diferentes – luta pelo título, luta pela Europa e pela permanência – e é neste momento que a equipa tem de dar boas respostas.”

Vídeo-árbitro, justiça e transparência
“​Estou totalmente de acordo com tudo o que traga justiça e transparência ao futebol. Falamos de um cenário que é apenas para a próxima temporada e, por isso, não vale de nada estar a falar disso agora.”

Fonte: FC Porto