Nuno Espírito Santo recusa apontar o dedo a Herrera

Nuno Espírito Santo considera que seria «um absurdo» responsabilizar Héctor Herrera pelo empate (1-1) no clássico com o Benfica, no Estádio do Dragão.

«Nunca individualizamos o erro, seria um absurdo e sinónimo que renunciamos ao nosso crescimento. O erro é sempre global, todos somos responsáveis. Héctor faz parte do plantel e é um jogador com quem contamos», esclareceu o treinador dos azuis e brancos, no lançamento do jogo da Taça de Portugal com o Chaves.