Nuno: “Só pensamos em nós”

Treinador garante uma equipa à procura da vitória e focada no objetivo de somar mais três pontos​ frente ao Belenenses

O Belenenses é o adversário na primeira de sete finais que faltam disputar até ao final da Liga NOS e para o jogo do próximo sábado (18h15), no Estádio do Dragão, o treinador Nuno Espírito Santo garante um FC Porto dominador e sempre à procura dos três pontos que deixem, ainda que à condição, os portistas na liderança do campeonato.

Na conferência de imprensa de antevisão da partida da 28.ª jornada, frente a um adversário que os Dragões ainda não venceram esta época (nulos na primeira volta e no jogo de estreia na Taça da Liga), o técnico admitiu que o grupo está confiante e apenas focado no seu trabalho, pois acredita que sete vitórias significarão o desejado título nacional. Sem ansiedade, mas com muita vontade de competir, Nuno falou também sobre Boly, que ocupará o lugar do castigado Marcano, reforçando a confiança plena no central francês.

As dificuldades do jogo com o Belenenses
“Temos um adversário que já defrontamos duas vezes esta época e que sabemos que vai ser difícil. Temos que nos focar no nosso jogo, nas nossas tarefas e maximizar o nosso rendimento, tanto a nível individual como coletivo.”

A receita para a vitória
“Queremos materializar a produção ofensiva que criámos nos dois últimos jogos. Temos como base a análise do adversário. Sabemos as características dos seus jogadores, o jogo que fazem e que é uma equipa que vem disputar o resultado. Nós queremos conquistar espaços, dominar e fazer golos. Esse é o caminho da nossa preparação.”

A força de um Dragão cheio
“Um Dragão cheio e ao lado da equipa é fundamental. É o nosso 12.º jogador e transmite-nos muita força para conquistar um objetivo que é de todos: ganhar o jogo e conquistar mais três pontos.”​

A ausência do Marcano e a confiança em Boly
“Vai entrar um jogador que já tem jogado, não mudamos rotinas. O Boly sempre que foi chamado tem correspondido muito bem e a nossas características de jogo não vão mudar. As perspetivas são exatamente as mesmas: manter a consistência defensiva, controlar o adversário e potenciar a nossa caraterística principal que é ter controlo absoluto sobre o jogo. Dá-nos confiança e garantia máxima.”

Proibido voltar a falhar
“Temos que nos focar só em nós. Sabemos que isso implica não permitir qualquer falha. Estou plenamente convicto de que se conseguirmos cem por cento das vitórias conseguiremos o nosso objetivo.”

Os desafios do calendário
“Desde o primeiro dia que traçámos um único objetivo que nos faz trabalhar diariamente no máximo das nossas forças, que é a conquista do título nacional. Quanto ao calendário, apenas nos diz que o nosso próximo jogo é o mais importante. É nele que nos concentramos e depositamos todas as nossas forças. Pensamos só em nós e em fazer o nosso trabalho jogo após jogo.”

Ansiedade está posta de lado
“O FC Porto durante todo o campeonato teve momentos bons e menos bons. Sempre fomos ultrapassando os obstáculos, com um espírito competitivo muito forte. Sábado temos outro desafio e não existe ansiedade, existe sim uma vontade grande de competir e vencer o jogo. O controlo de emoções é um dos fatores importantes, sabendo que entramos numa fase decisiva do campeonato. Também sabíamos desde o primeiro dia que este é um grupo jovem e que teria de ter um crescimento sustentado ao longo do tempo. Estamos melhores e a equipa tem dado boas respostas. Só há uma maneira de melhorar: trabalhar, porque um jogador é sempre mais forte com o apoio do que está ao lado. É assim que se ultrapassam estas questões.”

 

Fonte: FC Porto