O Delegado Escritor AMANTE do Benfica

A Liga de clubes decidiu renovar o quadro de delegados no inicio desta época. Nesse sentido, lançou um concurso para encontrar gente com “capacidade” para ocupar as 8 vagas disponíveis. O concurso foi dividido em dois caminhos diferentes:

O quelho dos “pobres coitados”

O primeiro desses caminhos passava por uma estrada em terra cheia de buracos, onde só os melhores conseguiriam passar. Um verdadeiro caminho dos “pobres” onde o mérito era a única coisa que poderia salvar os candidatos. Neste caminho passaram mais de 400 candidatos para apenas 4 vagas.

A autoestrada dos “meninos queridos”

Para os “meninos queridos” abriu-se uma autoestrada designada de “pós-graduação”. Um caminho limpo e que permitia chegar ao final da viagem sem sujar a viatura. Como estamos em Portugal, as viagens em autoestrada são sempre bem pagas. Neste caso, a pós-graduação de 120 horas custou 3600€, mas por certo os “meninos queridos” viram o seu investimento recompensado. Esta pós-graduação tinha um limite mínimo de 20 alunos e um máximo de 40 alunos. Não consegui apurar o número de alunos que a frequentaram. O que é certo é que apenas alguns alunos demonstraram vontade em concorrer às quatro vagas de delegado, o que ainda demonstra mais a facilidade de acesso.

Coincidências

Já apresentei um desses meninos queridos neste espaço. Um tal de João Moura com ligações ao Marítimo, Lourenço Pinto, Abreu Advogados (uma das firmas contratadas pelo Benfica no caso dos emails) e à famosa GIC de César Boaventura. Podem e devem consultar esse post (aqui).
Hoje quero apresentar um outro “artista”.

“Ó Abreu dá cá o meu, hey”

Link (aqui)
Como dizem os Black Company “Ó Abreu dá cá o meu, hey”. Apresento-vos João Pedro Rodrigues.
Tal como João Moura, o nosso “novo amigo” também trabalha na Abreu Advogados. A tal firma que estará no canto do Benfica na questão dos emails, como divulgou recentemente o Expresso.
Jornal Expresso 09/07/2017
Seria de estranhar que este advogado especialista em “Direito do Desporto, Propriedade Intelectual e Tecnologias de Informação” não estivesse envolvido na equipa que preparará a defesa benfiquista na Abreu Advogados.
Existirá alguma incompatibilidade no facto de defender uma das sociedade desportivas que é sócia da entidade para a qual é delegado? Nahhh. Não se passa nada, até porque segundo Helena Pires, directora de competições da Liga Portugal, só há incompatibilidade se os delegados disserem que há (link). O rei vai nú meus senhores!

Não tinha entrado pelo quelho dos “pobres coitados”

É importante salientar que pelo caminho dos “pobres coitados”, o nosso amigo não tinha conseguido ser admitido como delegado da Liga, uma vez que obteve 84,30 pontos e o último estagiário a entrar conseguiu 87,30. Abençoados 3600€.

O delegado escritor

João Pedro Rodrigues tem um grande amor à escrita tendo colaborado com o jornal Record (tal como João Moura) e com site Bola na Rede, como escritor afecto ao Benfica. What else?
Bio de João Pedro Rodrigues no site Bola na Rede
É a falar do Benfica que João Pedro Rodrigues se sente em casa. Isto é algo que por certo ajudará na sua integração no quadro de delegados da Liga. Estando todos na mesma página, o “trabalho” pode fluir ainda melhor.

Análise Presidencial

Aqui fica um exemplo do nível de literatura proporcionada por João Pedro Rodrigues no que ao Sporting diz respeito.
A forma como Bruno de Carvalho é comparado com Donald Trump e a classificação dada aos Sportinguistas de “rebanho”, são cabais quanto ao nível que este senhor tem para ser delegado da Liga. É bom que Bruno de Carvalho fique atento nos jogos em que este senhor participar como delegado. Se puxar do cigarro electrónico, o Presidente do Sporting pode ser irradiado.
Já sobre o Benfica e o seu Presidente condenado por roubo e devedor de milhões à banca nacional a coisa já muda de figura. Deixo apenas 3 exemplos interessantes, para quem tiver pachorra de ler.

“E vai acima, vai abaixo e vai ao centro”… cultural de belém

João Pedro Rodrigues com Manuel Vilarinho no dia da apresentação do Filme de Eusébio

 

Uma cortina de fumo

É engraçado que o senhor que “a falar do Benfica é que se sente em casa” não tenha um like na página do seu clube. Curiosamente tem like no Feirense, Paços de Ferreira, Tondela, Arouca, Braga, Académica, Boavista, Vitória de Guimarães, Freamunde, Rio Ave e Estoril. Uma bela fachada, sem sombra de dúvidas.

Agora apaguem tudo!

É engraçado que João Moura e João Pedro Rodrigues tenham tantas semelhanças. Para além do nome, ambos trabalham para a Abreu Advogado, escreveram no Record e frequentaram juntos a pós-graduação da Liga. Mas há mais: Quer um, quer outro gostam de se esconder. Um tem “vergonha” de ficar da fotografia de família dos delegados da Liga como já vimos (aqui) e o outro tem “vergonha” do seu passado como cronista.
Para além da “fachada” com os likes de Facebook, é curioso que os artigos de João Pedro Rodrigues escreveu para no site do jornal Record e no site Bola na Rede tenham sido apagados recentemente. Infelizmente, não consegui aceder aos artigos que escreveu para o jornal Record. Fico a aguardar (sentado) que o jornal os coloque novamente online.
Para concluir, quero só acrescentar que a preocupação demonstrada por João Pedro Rodrigues em tentar colocar uma cortina de fumo no seu Facebook e o facto de apagar o seu histórico como “escritor”, é sintomática e definidora do carácter do artista.
São estes os senhores que Pedro Proença diz serem “os rostos e a extensão da Liga Portugal em todos os estádios do futebol profissional”.