“Os golos vão chegar”

Apesar de o FC Porto ter desperdiçado algumas oportunidades nos últimos jogos, o médio acredita que a equipa vai ultrapassar rapidamente esta fase

Médio reconhece que o empate em Chaves retirou confiança à equipa, mas que já foi recuperada depois da exibição realizada na Dinamarca

O médio do FC Porto acredita que o público do Dragão vai empurrar a equipa para os oitavos de final da Liga dos Campeões, na última jornada da fase de grupos, contra o Leicester

Mais um jogo, mais um empate e de novo sem golos que até deixa o Copenhaga em vantagem, em caso de desempate no confronto direto entre portistas e dinamarqueses. Não foi por falta de ocasiões, uma vez mais, que o FC Porto só conseguiu um ponto. Na segunda parte, o domínio dos azuis e brancos foi total, não permitindo ao Copenhaga um só remate à baliza de Casillas. “É uma fase difícil de explicar, mas é uma fase que estamos a ultrapassar”, garantiu Danilo. “Realmente, fizemos muitos remates, criámos muitas oportunidades, mas infelizmente não estamos a conseguir finalizar as ocasiões que temos. Só nos resta continuar assim, a criar estas oportunidades, e de certeza que os golos em breve chegarão”, completou o médio do FC Porto.

Num plantel em que a juventude é uma virtude assumida na primeira pessoa, crescer sem golos e com resultados nem sempre condizentes com as exibições expõe a equipa a vários riscos. “Acho que isso não compromete, desde que saibamos que estamos bem e que estamos a fazer exibições em crescendo. Claro que o golo também faz a equipa crescer e desde o momento que não haja golos retira sempre confiança, mas isso não pode acontecer num plantel como o do FC Porto”, explicou. Na ressaca de um jogo “igual” a tantos outros disputados ultimamente pelos dragões, ao empatar pela quarta vez nos últimos cinco encontros, preocupante são os efeitos que podem surgir e a ansiedade que se pode instalar. “Depende de que empate for. Por exemplo, o da semana passada [com o Chaves] foi como uma derrota e já tirou um pouco de confiança, mas também a recuperamos, depois de uma exibição como a que fizemos contra o Copenhaga”, garantiu.

Para a última jornada da fase de grupos fica, uma vez mais, o jogo de todas as decisões e não só, já que, embora o FC Porto dependa de si, uma derrota ou um empate dos dinamarqueses em Brugge possa contribuir para a passagem no caso de os azuis e brancos não conseguirem vencer em casa o Leicester, mas Danilo acredita no efeito que o Dragão tem na equipa: “É verdade que podíamos ter resolvido, mas não conseguimos. Agora, temos a decisão em casa, contra um adversário difícil, mas acreditamos imenso na nossa qualidade e no Dragão só temos de ganhar.” Aliás, na segunda parte, no Teila Parken Stadium, a equipa mostrou que tem capacidade suficiente para passar. O Copenhaga ficou remetido ao seu meio-campo e nem um remate fez à baliza defendida por Casillas. “A base dessa resposta foi o Nuno ter-nos dado as indicações corretas ao intervalo e fazermos aquilo que não estávamos a conseguir fazer na primeira parte. Estávamos a perder a bola muito depressa e a afunilar muito o jogo. Na segunda parte, com as indicações do míster, conseguimos dar mais amplitude ao ataque e criar mais dificuldades ao Copenhaga”, partilhou o médio do FC Porto.

“Vamos a Belém para ganhar”

Não há outra saída, o remédio é olhar em frente e tentar contrariar esta série de empates e sobretudo, marcar golos. O próximo jogo é já no sábado e não há muito tempo para pensar, pelo que o regresso do campeonato, mesmo jogando no Restelo, frente a uma equipa que não vence em casa para o campeonato desde setembro só é encarado de uma forma pelo jogador. “Vamos como sempre. Vamos a Belém para ganhar”, vincou, de modo a tentar inverter a tendência dos últimos jogos.

 

FONTE/ O JOGO