Otávio: “No final quem ganha é o FC Porto”

Criativo brasileiro agradece os elogios de Deco e só reconhece vantagens no grau de exigência de Sérgio Conceição

 

Não terá sido a primeira vez que Otávio disse que o FC Porto tem tudo para ganhar, mas na superflash que precedeu o treino matinal desta sexta-feira, no Olival, o brasileiro disse muito mais. Reassumiu a evolução que o seu estilo de jogo sofreu quando trabalhou com Sérgio Conceição no Vitória de Guimarães, assegurou a disposição de todos os jogadores para ajudar o novo treinador e já foi avisando aqueles que não conheciam o técnico de que ele “vai cobrar”. Quem quiser jogar, resumiu ao microfone do Porto Canal, não tem alternativa que não seja “dar o máximo”.

Intensidade
“O trabalho tem corrido bem, com treinos intensos que nos vão ajudar ao longo da temporada. Está todo o mundo focado no trabalho, para dar o máximo e conseguir os nossos objetivos no final.”

Ajuda mútua
“Sempre disse que o Sérgio Conceição me ajudou bastante, acho que evoluí muito com ele em Portugal [no Vitória de Guimarães] e voltar a trabalhar com ele é bastante importante, porque já me ajudou e pode ajudar-me muito mais. Espero poder ajudá-lo, como todos os outros vão querer ajudar, e no final quem ganha é o FC Porto.”

A cobrança
“Alguns jogadores, em especial os brasileiros, já me perguntaram como é trabalhar com o Sérgio Conceição e eu sempre dei boas indicações. Disse-lhes que vão ganhar, que o treinador vai cobrar muito e que eles terão que dar o máximo, o que é sempre importante. Por vezes achamos que estamos bem, mas quando o mister puxa mais um pouco nós ainda conseguimos dar mais um pouco.”

Dar o máximo
“Todos os anos pensamos em dar o máximo. Vamos dar o máximo e agora, com este mister que nos vai ajudar bastante, temos tudo para conquistar o nosso objetivo.”

O título de campeão
“Temos um plantel a trabalhar para isso e vamos em busca desses objetivos. É o que está a faltar ao FC Porto.”

Os elogios de Deco
“Recebo sempre bem essas declarações, mais ainda vindas de um grande jogador como foi o Deco. Ele é uma referência do futebol mundial, mas o mais importante é que eu possa ajudar a equipa. Vou jogar onde tiver que jogar e o que o mister decidir será bem-vindo.”

Fonte: FC Porto