Já viste este telemovel igual ao Galaxy S8, Octacore, Camara 16Mp da Sony, Touch ID...etc por APENAS 100€? Visita o nosso link e não pagas portes de envio nem taxas alfandegárias!

CLICA AQUI

Padres reagiram à declaração de Fernando Gomes – A falta de vergonha não tem limites!

O presidente da FPF apelou aos clubes e Estado que intervenham a favor dos árbitros

Os árbitros portugueses de futebol enalteceram esta sexta-feira a “coragem” do presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, em “sair em defesa” dos árbitros, e falam numa reflexão profunda no setor. “Fernando Gomes teve a coragem de sair em defesa pública dos que se expõem na arbitragem e na disciplina, dois pilares do futebol e do desporto”, refere a nota divulgada pelos árbitros do quadro principal categoria 1.

A reação surge depois de um texto, que pode ler na íntegra na edição desta sexta-feira do jornal O JOGO, em que o presidente da FPF alerta para os “sinais de alarme” decorrentes da “apologia do ódio” e de um “constante tom de crítica em relação à arbitragem”, instando à ação dos clubes e Estado.

No comunicado, os árbitros dizem que as palavras de Fernando Gomes são “um retrato profundo, rigoroso” e “que, infelizmente, corresponde ao atual estado de alarme que se vive no futebol português”.

Da sua parte, os responsáveis da arbitragem revelam estar em curso “uma reflexão profunda sobre as condições de que os árbitros dispõem para exercer a sua atividade com dignidade, respeito e segurança”.

Na análise feita por Fernando Gomes, nomeado na quarta-feira para a Comissão Executiva da FIFA, o dirigente diz que o “tom de crítica em relação à arbitragem é inaceitável e impróprio de um país civilizado e com espírito desportivo”.

“Estas críticas, que muitas vezes são inspiradas em dirigentes com as mais altas responsabilidades, potenciam o ódio e a violência. São, quase sempre, uma forma de tentar esconder insucessos próprios, além de constituírem atos de cobardia”, prosseguiu o líder da FPF.

Um cenário, de ameaça e crítica, de ódio entre clubes — “espalhado por redes sociais e órgãos de comunicação social” -, e que segundo Fernando Gomes não pode ser ignorado pelos clubes profissionais, nem pelo Estado.

“O Estado, o Governo, a Assembleia da República, os diferentes responsáveis institucionais devem envolver-se cada vez mais neste objetivo coletivo de combater de forma efetiva as ameaças ao futebol, nas suas diversas vertentes”, escreveu.

Ainda de acordo com Fernando Gomes, “a FPF está disponível para colaborar com o Estado em todas estas frentes, nomeadamente na revisão das competências do Conselho Nacional do Desporto, um órgão que poderá desempenhar papel fulcral”.

“A FPF está a fazer a sua parte e estará sempre do lado das soluções construtivas e pacificadoras. Ninguém pode ficar de fora desta responsabilidade”, concluiu.

66 Comments

Leave a Reply
  1. A coragem do FG é exatamente igual à dos árbitros, são cobardes e têm medo dos podres que toda a gente vai saber, é que a justiça vai ter de colocar cá pra fora os e-mails todos, as escutas ao telemóvel do FG, etc…. é que antes da justiça colocar cá fora o esquema do polvo, o Porto já o conhece de fio a pavio, ou não fosse o Porto a entregar as provas para fundamentar o esquema! Vamos aguardar o que significa esta coragem do FG!!!!

  2. Quer dizer, os árbitros podem errar que não passa nada…. o problema é q erram sempre para o mesmo lado e esse tal Fernando Gomes e a instituição q representa não vê…… dass

  3. Éra o que o que faltava! Pactuar coa pouca Vergonha que reina no FUTEBOL Português, o Snr. Presidente da FPF, não está a vêr, ou tem mêdo de dar dois murros na mesa e dizer, é assim, ou vou embora.

  4. Este deve estar coagido com os SMS roubados do seu PC, pelo clube com primeiro ministro. Dizer isto, durante enorme inacção e silêncio, apenas indicia coação e chantagem que lhe foi movida… Está na mão da máfia rubra

  5. Ja ninguém para este movimento de destruição do polvo! Isso é que era bom! Padres abandonem a profissão! São anos de corrupção boifiquista que jamais serão apagados! Tivessem feito o que vos disse o bispo Adão Mendes: AGORA APAGA TUDO!

  6. Os árbitros são os primeiros a não se respeitarem, pois caso contrário teriam o respeito de todos. Mas infelizmente com as arbitragens que têm, tendenciosas, com dualidade de critérios e sempre com os mesmos erros, consoante as equipas em jogo, não merecem o respeito de ninguém. No fundo, se fossem competentes e fizessem bem o seu trabalho, acho que ninguém os criticava.

  7. Estes cavalheiros, sao uns santinhos, querem ocultar a sua isençao com as palavras que FG, presidente da FPF, so que este sr. deve estar tb, refem de algo que o seu computador furtado das instalaçoes, da Federaçao, alguem o mantem refem, pois apos as denucias efectuadas pelos emalis, outra pessoa teria actuado, pois quem nao deve nao teme, ele deve temer, pois o seu caracter foi-se pelo esgoto, apenas lhe resta a demissao, bem destes cavalheiros que apladem as declaraçoes de F.Gomes, pois tb eles demonstram medo, e, estarem refens de algo tenebroso.

One Ping

  1. Pingback:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *