“Penálti só se partirem a perna ou arrancarem a cabeça”

Revolta Presidente começa a acreditar que só por tragédia os dragões podem beneficiar de um castigo máximo. O que viu em Chaves foi mais do mesmo

Nuno queixou-se timidamente, mas Pinto da Costa, em exclusivo a O JOGO, foi bem mais contundente. A newsletter diária do clube acabou por reforçar a posição do presidente e pediu o “fim da vergonha”

Mais inexplicável do que os erros, que começa a ver “com normalidade”, é o julgamento do Conselho de Arbitragem, que continua a nomear os árbitros “como se nada se passasse”

O que ao início surpreendeu passou a ser normal aos olhos de Pinto da Costa, que se fartou, entretanto, de ver tantos lances em que o FC Porto sai prejudicado. Por isso, em Chaves deu um murro na mesa. Mas não acredita que isso baste para mudar o que quer que seja. “Foi uma arbitragem ao nível das que o FC Porto tem tido em vários jogos do campeonato. Penáltis para o FC Porto não há. A partir do momento em que o senhor João Pinheiro não marca aquele penálti em Setúbal, não acredito… Só se partirem uma perna ou arrancarem a cabeça de algum jogador é que será marcado um penálti a favor do FC Porto”, atirou, a O JOGO, logo depois de ter visto o FC Porto ser eliminado da Taça de Portugal em Chaves.

“O que eu digo é que esta arbitragem foi ao nível da grande maioria das arbitragens do campeonato nestas temporadas. Se está bem ou mal, se calhar está bem, porque o Conselho de Arbitragem está satisfeito e os árbitros continuam a apitar. O senhor João Pinheiro, por exemplo, teve jogo logo na semana a seguir ao V. Setúbal-FC Porto. Se isso aconteceu, é sinal de que a Comissão está satisfeita com as arbitragens. E este [João Capela] se calhar vai apitar também na próxima semana”, palpitou, claramente descontente pela saída precoce da prova que os dragões perderam na última final e não conquistam desde 2011.

Mas há alguma explicação ou desconfiança a propósito de tantos erros de que os dragões se vão queixando? Se há, Pinto da Costa não a tem. “Os ‘experts’ de arbitragem, que são os do Conselho de Arbitragem, devem tê-la. Eu não sou ‘expert’ em arbitragem, mas vejo o que toda a gente vê. Agora, se quer explicação, tem de a pedir ao CA”, encaminhou.

Sobre erros próprios ou a dificuldade esperada para o jogo de terça, com o Copenhaga, agravada pelos 30 minutos suplementares em Chaves, nem uma palavra. “O jogo teve mais 30 minutos. São os factos. Mas, repito, esta arbitragem foi ao nível da grande maioria dos jogos do FC Porto na I Liga. Para mim, que não sou um ‘expert’, está mal, mas o CA parece que está satisfeito, porque os árbitros fazem permanentemente este tipo de atuações e continuam a apitar como se nada fosse”, concluiu.

Ontem, o clube, via newsletter “Dragões Diário”, acrescentou mais alguns julgamentos contundentes. “Depois de João Pinheiro, em Setúbal, ter transformado um penálti em cartão amarelo por simulação a Otávio, todos os árbitros devem ter entendido a mensagem que não se assinalam grandes penalidades a favor do FC Porto. Em Chaves voltou a ser um fartar vilanagem. Para a semana saberemos qual o prémio com que oCA brinda mais um brilhante desempenho”, começa o FC Porto por escrever .“OCA mudou, as pessoas são outras, mais simpáticas, mas igualmente incapazes de assegurar a verdade desportiva. O futebol português pode continuar a fingir que está tudo bem, os dirigentes das associações de classe podem continuar a fazer a defesa do indefensável, mas temos um problema muito grave. Quando os erros são consequência de um mau julgamento, acontecem de forma aleatória, mas não é isso que está a acontecer, com a nossa equipa a ser sempre prejudicada. Porque todos queremos acreditar que nada acontece de forma premeditada, é urgente perceber o que se passa e acabar com esta pouca vergonha, não há mesmo outra forma de o dizer”, concluiu a newsletter que os subscritores recebem logo ao início da manhã.

Há 12 lances e seis pontos em causa

Pinto da Costa sublinhou a “normalidade” dos penáltis negados ao FC Porto e o clube, de forma oficial, anotou depois os lances de que se queixa desde que a época começou. Ao todo são 12, três contra o Chaves e nove deles para a Liga: Estoril (vitória por 1-0), dois contra o V. Guimarães (vitória por 3-0), Tondela (empate a zero), Boavista (vitória por 3-1), dois com o Arouca (vitória por 3-0), V. Setúbal (empate a zero), Benfica (empate a uma bola). Os dragões entendem que poderiam ter quase a ficha limpa na I Liga, pois só não apontam penáltis em Alvalade, mas aí queixam-se de mão nos dois golos dos leões. Contas feitas, seriam pelo menos mais seis pontos só em penáltis, o que valeria liderança. Fora o apuramento na Taça de Portugal…

O MARTÍRIO DOS PENÁLTIS

O FC Porto dos últimos anos não tem sido feliz nem competente da marca dos onze metros. Se incluirmos os três desempates por penáltis dos últimos quatro anos, os dragões falharam 17 penáltis e marcaram 38. A percentagem de acerto é de 70%, mas nas alturas-chave, nos tais desempates (Benfica, para a Taça da Liga, Braga na final da Taça de Portugal e agora o Chaves), a equipa tombou sempre.

*

– inclui um desempate da marca dos penáltis

 

FONTE/ OJOGO

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *