Pinto da Costa abre a porta a Kelvin

Presidente do FC Porto revelou ter recusado uma oferta do Anderlecht por Depoitre e rejeitou a repescagem de Marega

Ida ao mercado dependerá das vendas, que só acontecerão, segundo o líder dos dragões, pela cláusula de rescisão. Reação da equipa à desvantagem com o Chaves mereceu elogios

A onze dias da reabertura do mercado de transferências, a tranquilidade reina no Dragão. Pinto da Costa esclareceu, ontem, no tradicional jantar de Natal organizado pela comissão de apoio à sua recandidatura, que até ao momento não surgiu qualquer proposta tentadora, revelou que Marega não regressará agora ao FC Porto e abriu a porta a um regresso de Kelvin. “É possível. Não quer dizer que será integrado, mas é possível”, indicou o líder dos dragões, que admitiu ir ao mercado apenas se for estritamente necessário. “Não estamos preocupados com nenhuma posição. O problema é que, se sair alguém, pelo facto de um clube ter batido a cláusula de rescisão, ficamos com essa posição enfraquecida e tem de ser compensada”, explicou.

De acordo com Pinto da Costa, a única proposta que chegou às instalações da SAD foi por Depoitre. O Anderlecht queria o belga, mas foi o próprio presidente dos azuis e brancos quem esclareceu o homólogo que não podia ceder o avançado. “O sr. Luciano D’Onofrio disse-nos que o Anderlecht pretendia o Depoitre, mas, ainda antes do jogo com o Chaves, entendemos que não, porque pensámos, e pelos vistos bem, que ele nos poderia ser útil, sobretudo em determinados jogos, como o de [ante]ontem”, justificou, não fechando, contudo, a porta a um negócio. “Os jogadores são todos para manter, assim como poderão ser todos transferidos, porque todos têm cláusula de rescisão. Agora, o que posso garantir é que, com a exceção do Depoitre, nem oficial, nem particularmente, qualquer proposta por qualquer jogador. E como não tive, não vou fazer despedimentos, como o Sporting fez ao Abel, porque um dia podem vir aqui como treinadores e vingam-se ”, gracejou.

O desempenho da equipa de futebol também foi aflorado por Pinto da Costa, que preferiu focar-se nos elogios às exibições dos jogadores. “A equipa está a dar uma ótima resposta”, realçou o presidente portista, que gostou bastante da forma como os homens de Nuno Espírito Santo reagiram à desvantagem no encontro com o Chaves, marcado pelo nervosismo e por uma arbitragem polémica de Vasco Santos. “O que se passou no Dragão, foi extremamente positivo, porque, se alguém tinha dúvidas de que o público está com a equipa, tê-las-á perdido ontem. Se alguém pensava que a equipa se deixava abater por qualquer adversidade, também verificou que isso não ia acontecer. Foi uma boa prenda de Natal que a equipa deu aos adeptos e que estes, com o apoio, deram à equipa”, rematou.

CRÍTICAS FORAM GRITO DE REVOLTA

Líder dos azuis e brancos revelou que não falou quando a equipa não pontuou para não parecerem desculpas

bbb Movido pela força que garante

receber dos adeptos, Pinto da Costa explicou que o desabafo sobre as arbitragens, realiza dono final do FC PortoChaves, se deveu a um sentimento de revolta que não .“Que fique bem claro que, quando falámos, não são desculpas por não vencermos. Como Chaves vencemos e não pude calara revolta de um estádio inteiro”, referiu o presidente do FC Porto, lembrando que já existiram outros jogos em que viu a equipa ser prejudicada e preferiu não falar porque esta perdeu pontos. “Foi assim no FC Porto-Benfica e no Belenenses-FC Porto. E assim acontecerá sempre que não vencermos por nossa culpa, por nossa inspiração ou mérito. Não são desculpas de quem perde, mas um grito de revolta quando afirmou, prometendo continuara defender os interesses do clube enquanto tiver forças.

UMA CENTENA A VER VÁRIAS HOMENAGENS

O jantar de Natal organizado pela comissão de apoio à recandidatura de Pinto da Costa,presidida por Fernando Cerqueira, contou com a presença de uma centena de portistas. No evento, que se realizou no Restaurante Monte Aventino, ficou marcado pela descontração e por alguns momentos de boa disposição. Além disso, fora efetuadas várias homenagens, entre as quais a Reinaldo Teles (administrador da SAD), Joaquim Pinheiro (diretor da equipa B) e Alexandre Pinto da Costa (sócio do clube e filho de Pinto da Costa). Para o final ficou reservado o corte de bolo e sobrou apromessa de novo jantar no próximo ano.