Ricardo Moreira promete fazer o “possível e impossível” para vencer a Taça

Capitão do FC Porto anteviu a meia-final da competição, frente ao ABC (sábado, 18h00)

 

Ultrapassado o capítulo do campeonato, a equipa de andebol do FC Porto já centra atenções na Taça de Portugal, competição em que tem como próximo adversário a formação minhota do ABC. Para o jogo da meia-final (sábado, 18h00) no Pavilhão Multiusos de Fafe, onde decorrerá toda a final-four da competição, o capitão Ricardo Moreira garante uma equipa motivada e preparada para dar tudo por tudo para vencer a taça, ainda que uma possível conquista do troféu não apague a amarga ponta final do campeonato.

O capitão da equipa azul e branca falou num jogo “especial” para as duas equipas, que quererão nesta competição demonstrar que mereciam mais do que conseguiram no campeonato que na quarta-feira ficou concluído (os Dragões foram segundos, os bracarenses terminaram quintos). Por isso, o objetivo passa por “tentar ir à final e ganhar”. A outra vaga na final vai ser discutida entre Sporting e Avanca.

Jogo “especial” para as duas equipas
“É um jogo a eliminar e são sempre jogos especiais para as equipas. O ABC era o campeão em título e com toda a certeza que vai querer demonstrar que este quinto lugar foi um erro no percurso, tal como nós o vamos querer fazer relativamente ao segundo. Por isso, vamos fazer tudo para ir à final e ganhar a final.”

A moral da equipa
“A equipa vai dar tudo, como sempre fez ao longo do campeonato. Vamos fazer os possíveis e os impossíveis para ganharmos a Taça, tal como fizemos no campeonato, que infelizmente não conseguimos vencer pelas razões que todos já sabemos. Temos que estar preparados para estes momentos e não podemos pensar no que aconteceu.”

A Taça não substitui o campeonato
“A conquista de uma taça não apaga a não conquista de um campeonato. Não vale a pena pensar mais nisso. Não vale a pena recordar os erros de arbitragem e o que aconteceu nos jogos anteriores. Interessa pensar no que nós podemos controlar. Sobre o que os outros controlam nada podemos fazer.”

Fonte: FC Porto