Ricardo Pereira de volta ao FC Porto

Devo regressar [ao FC Porto], mas não depende só de mim ”
Ricardo Jogador do Nice

O português prepara-se para terminar novamente a época como melhor lateral-direito da Ligue 1 e tem vários clubes interessados, mas a última palavra pertence sempre ao FC Porto

O Nice não tem opção de compra e dificilmente terá hipóteses de pagar os 25 milhões de euros da cláusula de rescisão, pelo que tudo se conjuga para outros voos, que podem ou não passar pelo Dragão

Balotelli tem beneficiado e muito com as jogadas e as assistências de Ricardo

Um golo e uma assistência para Mario Balotelli fizeram de Ricardo Pereira o herói da vitória do Nice sobre o Paris Saint-Germain (3-1), que pode ter decidido o campeonato francês a favor do Mónaco de Leonardo Jardim. Mas este jogo foi apenas a ponta do icebergue, porque o que Ricardo Pereira conseguiu no Nice, em duas épocas, foi valorizar-se substancialmente. Em França, a Imprensa faz dele um dos responsáveis pela grande temporada da equipa de Lucien Favre e não faltam notícias a associá-lo a clubes como Liverpool, Juventus ou Inter. Para o FC Porto, o empréstimo – sem opção de compra, sublinhe-se – não podia ter corrido melhor, pelo que, no próximo mercado de transferências, Ricardo Pereira será certamente um ativo a ter em conta para reforçar os cofres do Dragão, isto caso não integre o plantel portista.

Certo, para já, é que o português tem uma cláusula de rescisão de 25 milhões de euros e contrato com os azuis e brancos até 2019. A valorização do jogador é tal que a SAD portista não estará interessada em deixá-lo sair por um valor abaixo da cláusula.

No rescaldo da vitória sobre o Paris SG, o jogador foi confrontado com o futuro, mas não arriscou. “Em princípio devo regressar [ao FC Porto], mas não depende de mim. Logo se vê”, declarou o defesa ao Canal Plus.

Na época passada, Ricardo terminou como melhor lateral-direito da Ligue 1 e deverá repetir a façanha, já que soma dois golos e quatro assistências. Além disso, tem feito da versatilidade – no Nice, já jogou como lateral-direito, lateral-esquerdo, médio-direito e extremo-direito – um argumento de peso e que agrada a qualquer treinador.

Fonte: Ojogo