Sérgio Conceição: “O próximo jogo é verdadeiramente o mais importante”

Treinador perspetivou a receção ao Desportivo de Chaves, da quinta jornada do campeonato (sábado, 20h30)

Concluídos os compromissos internacionais de seleções, a Liga NOS está finalmente de regresso e o FC Porto tem encontro marcado com o Desportivo de Chaves na quinta jornada da prova. Na conferência de imprensa de antevisão da partida, que se disputa este sábado (20h30), no Estádio do Dragão, Sérgio Conceição reconheceu esperar dificuldades e garantiu uma equipa focada a 100%, até porque o objetivo é manter o pleno de vitórias no campeonato. Os Dragões somam 12 pontos e seguem no topo da tabela, enquanto os flavienses estão na 17.ª e penúltima posição, com um.

Uma semana diferente
“O Maxi, o Reyes e o Corona só chegaram ontem e a preparação para este jogo foi forçosamente diferente. Os jogadores foram chegando a conta-gotas e só hoje tive oportunidade de falar com todos os jogadores. Esperamos dificuldades para este jogo, apesar de todas as estatísticas. Sei o que é não começar bem o campeonato e ter a oportunidade de jogar contra um grande, sem a pressão de ganhar. Essa carga está em cima do FC Porto. Pela qualidade do seu treinador, que conhece bem esta casa, e dos seus jogadores, acho que vai ser um jogo difícil frente ao Chaves, mas não esperamos jogos fáceis. Todos serão difíceis, mais estamos preparados. Não gosto muito destas semanas nas quais há muitas ausências, mas é bom sinal, é sinal de que temos vários jogadores nas seleções. Devido a isso, a preparação para o jogo não é igual, o que não me agrada.”

O mar azul
“É fabuloso poder contar com os nossos adeptos. Eles são um grande apoio para nós. Mais uma vez, estamos à espera do mesmo entusiasmo e da mesma paixão que têm demonstrado e que sempre demonstraram. O meu obrigado a todos os que vão estar no estádio e aos que vão ficar em casa a apoiar-nos.”

Foco total no Desportivo de Chaves
“O próximo jogo é verdadeiramente o mais importante e tem de ser o nosso foco total. Não podemos pensar em dois jogos ao mesmo tempo, se não corremos o risco de não estarmos bem em nenhum deles. Só se prepara bem um jogo se estivermos completamente focados nele. Vamos fazer tudo para ganhar este jogo e só no fim pensaremos na Liga dos Campeões.”

Possíveis alterações na equipa
“Trabalhamos todas as variantes diariamente, mas não vou revelar nada. O cansaço dos jogadores é um cansaço normal, ainda que uns tenham jogado mais do que outros. Vou colocar o melhor onze e o melhor onze são os que dão mais garantias a todos os níveis de podermos ter sucesso frente ao Chaves.”

Mercado vai fechar mais cedo na Premier League
“Acho uma excelente medida e já me manifestei várias vezes sobre esse assunto. Ainda agora estive no Fórum de Treinadores da UEFA, com grandíssimos treinadores, e foi unânime a opinião de que o mercado deveria fechar mais cedo. Isso será uma vantagem para toda a gente. Um jogador pode fazer a diferença naquilo que é a dinâmica de uma equipa. Andamos sete ou oito semanas a trabalhar com determinados jogadores e, se depois ficamos sem eles, isso não é nada bom. O mercado deve fechar antes de começarem os campeonatos.”

Gestão de recursos
“É sempre preciso fazer a gestão do plantel e temos de ser inteligentes e criativos nesse sentido. Não sou hipócrita e disse antes do fecho do mercado que gostaria de ter mais duas ou três soluções, mas não foi possível e isso faz parte da vida de um clube. Há jogadores que jogam mais do que outros, mas tentamos ao máximo que todos estejam no mesmo patamar físico, técnico e emocional. Estou muito contente com os jogadores que tenho e é com estes que vamos para a guerra.”

Compromisso, vontade e ambição
“Os jogadores que saíram foi de comum acordo e de forma a crescerem e a terem outro tipo de competitividade. Cheguei a ficar preocupado quando o Neymar veio ao Porto, pois teria de o encaixar na equipa. Mais a sério, o importante é que toda a gente está envolvida, comprometida e com uma vontade e ambição enormes.”

As palavras de Pinto da Costa na mais recente edição da Dragões
“Não gosto de festas nem de elogios, mas vindo de quem vem, fico satisfeito. Quando começo a pensar nisso, vem-me à cabeça a grande responsabilidade que tenho, mas isso faz parte do meu trabalho. Não gosto de festas sem se conquistar nada. Iniciámos bem o campeonato e é assim que queremos continuar.”

Fonte: FC Porto