Sérgio Conceição: “Somos o FC Porto e queremos vencer”

Treinador projetou o jogo com o Sporting, relativo à primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal

 

Nos dois jogos anteriores com o Sporting, o FC Porto esteve por cima nos números, quer em Alvalade, para a Liga, quer na meia-final da Taça da Liga, mas não foi além de dois empates. Esta quarta-feira (20h15), no Estádio do Dragão, no jogo da primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, Sérgio Conceição espera que a superioridade estatística evidenciada anteriormente se transforme agora num “resultado positivo”, até porque a conquista daquele troféu é um dos grandes objetivos desta temporada.

Na conferência de antevisão do terceiro clássico da temporada entre Dragões e leões, o treinador portista desvalorizou o momento do adversário – que no passado domingo sofreu a primeira derrota da temporada nas competições internas – assim como as ausências de jogadores importantes com que se debate, tal como acontece, aliás, com os azuis e brancos, que não vão poder contar com Marcano, Danilo e André André, ainda entregues aos cuidados do departamento médico.

​​O momento do adversário
“O Sporting é sempre o Sporting. Não podemos olhar para o momento. Quer queiramos quer não, nas equipas de futebol, o que conta são os resultados. Eles vão querer um bom resultado, assim como nós vamos querer um bom resultado. Não espero um Sporting mais ou menos fragilizado em função do que está a acontecer. Nós analisamos o adversário naquilo que é a sua dinâmica nos jogos passados, mas não olhamos para o resultado. O resultado do último jogo do Sporting não interfere no jogo de amanhã. Cada jogo tem a sua história e vamos pensar no Sporting. Olhamos e preparamos o jogo naquilo que podemos controlar. Queremos fazer um resultado positivo nesta primeira mão.”

Estatísticas e superioridade
“Não ligo muito a estatísticas, porque não são sinónimo que a equipa que tem essa superioridade saia vencedora. Por vezes até é ao contrário. É sinónimo que tivemos bons jogos contra o Sporting, que fomos competentes, capazes de impor a nossa dinâmica. Não sofremos golos, mas ofensivamente, obviamente, não fomos eficazes como gostaríamos de ter sido. Penso que foi a maior pecha do nosso jogo, porque senti que estivemos bem e que merecíamos outro resultado. Não nos agarrámos a essas estatísticas. Esperemos continuar com a mesma superioridade mas que disso resulte um resultado positivo.”

A importância de não sofrer golos
“São dois jogos, vamos encará-los não pensando em não sofrer, mas sim em ganhar. Obviamente que dentro da dinâmica da equipa, desses princípios da equipa, o atacar está associado à fase defensiva e vice-versa. Ou seja, temos que estar atentos ao jogo em si. Não queremos sofrer, queremos marcar, mas não sofrendo estamos mais perto de vitória. Somos uma equipa que vai sempre à procura do resultado, assumimos isso. Somos o FC Porto e queremos ganhar. Temos pela frente o Sporting, que respeitamos muito, é uma excelente equipa, muito bem orientada, mas vamos encarar o jogo exatamente da mesma forma como se fosse outra equipa, porque queremos muito chegar à final.”​

Duas equipas desfalcadas

“O Sporting tem jogadores com características diferentes de Bas Dost e Gelson, tem um excelente plantel, com soluções credíveis para todos os lugares. É claro que, neste trajeto e nesta meia época, esses dois jogadores foram importantes, principalmente em termos ofensivos, mas isso não fragiliza, na minha opinião, a equipa. Nós também não temos o Marcano, o Danilo e o André André, que não vão estar aptos para amanhã. Temos que arranjar soluções enquanto treinadores.”
Soares na convocatória
“O Tiquinho é jogador do FC Porto, cometeu um erro que não foi escondido por ninguém, até porque foi uma situação que se passou à frente de todos que quiseram ver. Esse erro foi assumido por ele, o mau comportamento, de que não gosto, foi reprovado por mim, foi falado e foi desculpado. O Tiquinho está dentro do clube e vai estar na convocatória para amanhã. Se falar, teria de falar dos outros 19 que estão na convocatória. Não vou falar mais sobre o Tiquinho.”